Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 10/03/2011 - 12h00
Postado em Notícias

10/03/2011 12h00 - Postado em Notícias

Relatório Usda reavalia safra brasileira de soja em 70 milhões de toneladas

Levantamento divulgado nesta quinta-feira (10) também reajusta produção mundial de milho e eleva estoques mundiais para o trigo

A produção brasileira de soja para a safra 2010/2011 foi reavaliada para 70 milhões de toneladas. É o que aponta o relatório de março do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), divulgado nesta quinta-feira (10).

O levantamento também projeta aumento na produção mundial de milho e eleva os estoques mundiais para o trigo. A economista do Departamento Técnico Econômico da FAEP, Gilda Bozza, fez a análise do relatório. Confira abaixo:

Soja: produção mundial é revista em 258,4 milhões de toneladas

A produção mundial de soja foi revista para 258,4 milhões de toneladas. No levantamento de fevereiro, os números indicavam uma produção de 256,1 milhões de toneladas. O consumo projetado é de 256,6 milhões de toneladas. Os estoques finais passaram para 58,3 milhões de toneladas. Com isso, a relação estoque/consumo é de 22,7%.

O Usda manteve os números para os Estados Unidos. A produção prevista é de 90,6 milhões de toneladas. As exportações mantidas em 43,2 milhões de toneladas. O estoque final permaneceu em 3,82 milhões de toneladas. A relação estoque final/consumo é baixa, prevista em 7,9%.

Em relação ao Brasil, a produção foi reavaliada para 70 milhões de toneladas (68,5milhões de toneladas no relatório de fevereiro último). Para a Argentina, o relatório não trouxe maiores alterações. A produção foi mantida em 49,5 milhões de toneladas; as exportações reajustadas para 11 milhões de toneladas e o estoque final retificado para 20 milhões de toneladas.

Com relação aos preços, as projeções do Usda apontam preços entre US$ 24,47 a US$ 28,67/saca.

Milho: produção mundial 2010/11 reajustada para 813,8 milhões de toneladas

A produção mundial, de acordo com o Usda, foi reajustada para 813,8 milhões de toneladas. O consumo mundial previsto é de 835,2 milhões de toneladas. Os estoques finais globais passaram de 122,5 para 124,1 milhões de toneladas. Com isso, a relação estoque final/consumo passou para 14,3%.

Em relação aos Estados Unidos, o quadro de oferta e demanda permaneceu estável. A produção estimada em 316,2 milhões de toneladas. A produtividade estimada é de 10.350 quilos por hectare. As exportações ratificadas em 49,5 milhões de toneladas. O consumo norte-americano permaneceu em 293,4 milhões de toneladas.

Quanto ao Brasil, o relatório retificou a produção brasileira para 53 milhões de toneladas. As exportações brasileiras permanecem em 7 milhões de toneladas. Estoques finais reajustados para 8,8 milhões de toneladas.

Já para a Argentina o USDA não promoveu alterações. A produção permanece em 22 milhões de toneladas. As exportações em 14,5 milhões de toneladas. Já os estoques finais do país vizinho previstos em 940 mil toneladas.


Trigo: Usda eleva estoques mundiais

A novidade veio por conta da alteração dos estoques finais que aumentaram 4,1 milhões de toneladas, ou seja, passaram de 177,8 para 181,9 milhões de toneladas. A produção mundial de trigo foi reajustada de 645,4 para 647,6 milhões de toneladas. O consumo mundial foi reajustado para 663 milhões de toneladas contra 665 milhões de toneladas. Com relação aos Estados Unidos, o relatório de março manteve a produção em 60,1 milhões de toneladas. O estoque final previsto em 22,9 milhões de toneladas contra 22,6 milhões de toneladas do relatório de fevereiro.

No caso da Argentina, o relatório retificou a produção de 14 para 15 milhões de toneladas. As exportações ficaram em 8,5 milhões de toneladas. Os estoques finais passaram de 990 mil para 2 milhões de toneladas.

Para o Brasil, a produção foi mantida em 5,9 milhões de toneladas e as necessidades de importações permanecem em 6,5 milhões de toneladas.

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom