Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 23/11/2018 - 10h48
Postado em Destaques, Grãos, Notícias, Soja

23/11/2018 10h48 - Postado em Destaques, Grãos, Notícias, Soja

Produtores debatem resultados do MIP soja no Oeste do PR

Seminário que ocorre em Toledo, nesta sexta-feira (23), promove intercâmbio de experiências de agricultores com o uso das técnicas aprendidas no curso MIP soja do SENAR-PR

Um dia intenso de troca de experiências de produtores para produtores ocorre nesta sexta-feira (23), em Toledo, no Oeste do Paraná. Mais de 100 pessoas se reúnem no Seminário sobre os resultados do Manejo Integrado de Pragas (MIP) na soja da região. A intenção, ao longo do dia, é que o público, formado por agricultores e lideranças sindicais, troque informações sobre os resultados do programa em suas propriedades e fale sobre estratégias para reduzir custos e aumentar a efetividade no controle de pragas no cultivo da oleaginosa. A programação segue até o fim da tarde com palestras e falas de produtores relacionadas ao assunto (confira abaixo).

O MIP soja é um curso, promovido pelo SENAR-PR, em parceria com a Emater e Embrapa Soja. A inciativa tem reduzido os custos de produção com o monitoramento de lavouras e uso racional de agroquímicos para o controle de pragas. “Estamos aqui hoje para celebrar um resultado muito bom, principalmente em relação à redução da aplicação de inseticidas. Isso é um ganho tanto para o produtor, que economiza recursos, quanto para o meio ambiente”, avalia Flaviane Medeiros, técnica do SENAR-PR responsável pelo curso.

Nelson Paludo, presidente da Comissão Técnica de Cereais, Fibras e Oleaginosas da FAEP e presidente do Sindicato Rural de Toledo, comenta que ele mesmo, junto com seu filho, aplicou o MIP em suas áreas de lavoura e que os resultados são nítidos. “Antigamente, não tínhamos o acesso a tanta informação como temos hoje. O que nos diziam na hora de comprar insumos, tínhamos que acreditar e pronto. Hoje, a nova geração de produtores tem informação e tem como escolher o que é melhor para cada lavoura e a prova disso está aqui”, compara.

Sobre o seminário, Paludo diz que encontros como este são chances únicas para o aprendizado. Afinal de contas são mais de 100 produtores, com visões diferentes e com realidades próprias que formam uma teia de conhecimento impossível de obter de outra maneira. “O curso é muito bom, tem feito a diferença e acho que hoje temos aqui uma oportunidade de aprendermos muito. Porque nós estamos aqui entre produtores, e nós nos entendemos muito bem, falamos a mesma língua e estamos juntos para enfrentar as coisas, sabemos que a batalha é muito grande. Todos estão aqui para prender um pouco mais”, diz.

Ivan Decker Raupp, gerente regional do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), exemplifica a grande diferença que a redução média de aplicações de inseticidas pode fazer em termos de custo de produção ao agronegócio paranaense. “O Paraná tem cerca de 5,2 milhões de hectares de soja. Se você reduzir uma aplicação na safra do Paraná, são R$ 350 milhões que ficam no bolso do produtor, girando a economia, gerando renda e emprego nas cidades por todo o Estado. Se forem duas a menos, multiplica por dois são R$ 700 milhões. Esse é o tamanho da importância dessa parceria. Isso sem contar ainda os ganhos ambientais proporcionados a toda a sociedade”, avalia.

Programação

A programação conta com palestras do engenheiro agrônomo Rafael Soares, da Embrapa Soja, que trata sobre o controle da ferrugem asiática; Eduardo Wammes, técnico do Instituto Emater, em Palotina, sobre resultados do MIP; do instrutor do SENAR-PR em MIP soja Solivan Rosanelli; e falas dos produtores rurais Diego Daronch, de Serranópolis do Iguaçu, Vilmar Suzin, de Medianeira, Santo Pires Brito, de Iracema do Oeste e Dilso José Colpo, de Toledo.

Título da Postagem: Produtores debatem resultados do MIP soja no Oeste do PR

imprensa@faep.com.br