Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 13/05/2011 - 12h00
Postado em Notícias

13/05/2011 12h00 - Postado em Notícias

Ministério já prevê valor bruto da produção em R$ 196 bilhões

O Ministério da Agricultura elevou para R$ 195,9 bilhões sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) das principais culturas agrícolas do país em 2011, segundo levantamento divulgado na quinta-feira após Conab e IBGE terem revisto para cima sua projeções para a colheita brasileira de grãos nesta safra 2010/11. A nova projeção, que amplia […]

O Ministério da Agricultura elevou para R$ 195,9 bilhões sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) das principais culturas agrícolas do país em 2011, segundo levantamento divulgado na quinta-feira após Conab e IBGE terem revisto para cima sua projeções para a colheita brasileira de grãos nesta safra 2010/11. A nova projeção, que amplia um recorde histórico já sinalizado nos últimos meses, é 1,4% superior à divulgada em abril e 8,3% maior que o resultado do ano passado.

O novo levantamento em geral confirma as tendências apontadas nos anteriores. Conforme o ministério, a soja em grão, carro-chefe do agronegócio nacional, encabeçará o ranking, com VBP ("da porteira para dentro") de R$ 54,4 bilhões, seguida por cana (R$ 29,3 bilhões), milho em grão (R$ 22,7 bilhões) e café em grão (R$ 21,3 bilhões). Dos líderes, o único que apresenta queda em relação ao ano passado, de 11%, é a cana, cuja produtividade está em xeque por conta de adversidades climática, como realçou a Conab na divulgação de seu primeiro levantamento sobre a safra 2011/12 no país.

"Diferentemente do que aconteceu em 2010, a base de produtos que estão em melhor posição cresceu este ano", afirma José Garcia Gasques, coordenador de planejamento estratégico do Ministério da Agricultura e responsável pelos cálculos do VBP. Nesse contexto, destacam-se os aumentos estimados para algodão em caroço (60,5%), uva (43,5%), café (32%) e milho (25,2).

O novo levantamento também confirma que pela primeira vez Mato Grosso deverá superar São Paulo e assumir a liderança entre os Estados com os maiores VBPs.

Fonte: Valor Econômico – 13/05/2011

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom