Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 09/01/2012 - 12h00
Postado em Notícias

09/01/2012 12h00 - Postado em Notícias

Incertezas na economia ainda pressionam o café

Depois de atingirem o menor patamar em quase três semanas, durante o pregão, os preços futuros do café tipo arábica se recuperaram e fecharam a sexta-feira em alta na bolsa de Nova York. Os contratos com vencimento em maio tiveram valorização de 225 pontos, cotados a US$ 2,2455 por libra-peso. Mesmo assim, a posição perdeu […]

Depois de atingirem o menor patamar em quase três semanas, durante o pregão, os preços futuros do café tipo arábica se recuperaram e fecharam a sexta-feira em alta na bolsa de Nova York. Os contratos com vencimento em maio tiveram valorização de 225 pontos, cotados a US$ 2,2455 por libra-peso. Mesmo assim, a posição perdeu 2,22% em relação ao encerramento da sexta-feira anterior.

Segundo o analista da corretora Newedge USA, de Nova York, Márcio Bernardo, o mercado de café segue influenciado pelo clima de desconfiança dos agentes financeiros frente às dificuldades enfrentadas pela Europa. "Os fundos viram que o café estava vulnerável e aumentaram suas posições de venda, o que pesou sobre as cotações".

Segundo ele, o volume de negociações segue abaixo do esperado para esta época do ano, com as torrefadoras comprando "da mão para a boca" devido às restrições de crédito nos países desenvolvidos. "O mercado está travado", afirma.

O analista pondera que os fundamentos do mercado são positivos, com previsões pouco otimistas para a colheita do café no Brasil e na Colômbia. "Teremos uma safra apertada, e não há sobra de café no mundo. Seria bastante justificável o mercado operar em níveis de preço um pouco mais elevados, mas o clima é de muita incerteza", acredita.

Fonte: Valor Econômico

imprensa@faep.com.br