Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 24/04/2018 - 16h57
Postado em Destaques, Grãos, Trigo

24/04/2018 16h57 - Postado em Destaques, Grãos, Trigo

Cotação e janela empurram produtor para o trigo

Milho fora do período ideal de plantio em muitas regiões e o preço do cereal do pão maior em relação à temporada passada redesenham a segunda safra no Paraná

Após uma safra de verão com inúmeros percalços, como seca no plantio, atraso de até 40 dias nos trabalhos em algumas regiões do Paraná e excesso de chuva no desenvolvimento das plantas, os produtores paranaenses iniciam a temporada de inverno otimistas, principalmente em relação ao clima e aos preços. Dos oito principais cereais previstos para o período, seis têm projeção de aumento da produção, de acordo com levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab).

Apenas milho safrinha e canola apontam para baixa em relação à safra passada. A queda estimada de um milhão de toneladas na produção do milho safrinha, de 13,3 milhões de toneladas na
safra 2016/17 para 12,3 milhões de toneladas na atual, tem relação direta com o preço do alimento na época do planejamento da temporada de inverno. Com cotações longe de atrativas, muitos produtores rurais resolveram reduzir a área. No cenário estadual, quase 300 mil hectares a menos serão dedicados à cultura.

“[A queda de área] está ligada principalmente ao baixo incentivo ao preço de milho segunda safra. Teve um momento, no período de planejamento, que não estava interessante e o pessoal acabou abrindo mão da cultura”, aponta Carlos Hugo Godinho, economista do Deral.

Na outra ponta, o trigo acabou absorvendo parte desta área. Depois de registrar menos de um milhão de hectares na temporada passada – 972 mil para ser mais exato –, o cereal do pão, cujo o Paraná é o maior produtor nacional, irá ocupar 1,048 milhão de hectares, podendo aumentar nos próximos meses conforme o bom andamento da semeadura e das cotações. “A última safra foi muito ruim. Esse número mostra que o mercado está retomando a normalidade. Mesmo com o preço [do trigo] não tão atrativo da safra passada, o pessoal está voltando”, explica Jonathan Pinheiro, analista de mercado da consultoria Safra e Mercados, localizada no Rio Grande do Sul, segundo principal produtor de trigo do país. A estimativa é uma produção paranaense de 3,3 milhões de toneladas de trigo, 49% maior em relação à anterior – 2,2 milhões de toneladas.

Leia a matéria completa sobre os desdobramentos da safra de inverno aqui.

Título da Postagem: Cotação e janela empurram produtor para o trigo

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom