Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 17/05/2018 - 11h20
Postado em Agronegócios, Destaques

17/05/2018 11h20 - Postado em Agronegócios, Destaques

Automatização não significa agricultura artificial

A afirmação é do representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, que traça caminhos para segurança alimentar no planeta

A segurança alimentar da população do planeta é a principal bandeira da Organização das Nações Unidas (ONU) para Alimentação e Agricultura (FAO). E dentro deste cenário, o agronegócio brasileiro aparece como protagonista de peso, pelo seu importante papel na produção de grãos, carnes e outros tantos outros alimentos. Mas o desafio não está apenas em disponibilizar alimentos as pessoas, mas elevar os níveis de produtividade e produção no campo. Diante das projeções de que a população mundial será de 10 bilhões de pessoas até 2050, o agronegócio brasileiro irá contribuir ainda mais com a segurança alimentar global, segundo o engenheiro agrônomo boliviano Alan Bojanic, que desde 2013 é o responsável pelo escritório da FAO no Brasil.

Nesta entrevista exclusiva ao Boletim Informativo do Sistema FAEP/SENAR-PR, Bojanic aponta alguns rumos que podem ser tomados, como a agricultura deve utilizar as tecnologias a seu favor e a importância do Brasil no cenário mundial.

BI – Para onde caminha o agronegócio como um todo no Brasil?
AB – Discutir o agronegócio agora é extremamente importante. Os efeitos do agronegócio para a economia brasileira são significativos, pois tem o potencial para tirar o Brasil da crise, alimentar e dar emprego para boa parte da população. Ainda, espera-se uma crescente demanda por produtos brasileiros do agronegócio, como grãos, carnes e peixes. O que precisa ser resolvido é o tema de logística. Pois para que o país produza mais e tenha essa boa perspectiva para tornar-se uma grande força do setor agrícola mundial é preciso resolver o problema de escoamento dos alimentos.

Projeções indicam a população urbana de 6,3 bilhões até 2050. Esse cenário coloca o Brasil como protagonista na produção de alimentos para a demanda global?
O país tem o maior potencial, entre todos do mundo, para aumentar a produção de alimentos em até 40% nos próximos anos. Acreditamos que em 2027 o Brasil estará produzindo 300 milhões de toneladas de grãos e que assumirá a liderança mundial na produção de milho e soja, superando os Estados Unidos. Significa uma importante contribuição para a segurança alimentar mundial, já que as projeções apontam para um crescimento populacional para 2050, quando seremos 10 bilhões de pessoas. No Brasil, até 2024, incrementos nos resultados da agricultura deverão vir principalmente de ganhos em produtividade.

Leia a entrevista completa aqui.

Título da Postagem: Automatização não significa agricultura artificial

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom