Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 23/08/2019 - 09h59
Postado em Destaques, Notícias

23/08/2019 09h59 - Postado em Destaques, Notícias

SENAR-PR possibilita troca de experiências entre produtores

Fruticultores da região de Pinhalão visitam Mandirituba para compartilhar conhecimentos sobre boas práticas e produção integrada

A busca por mais sustentabilidade e novas técnicas na produção de morangos está mobilizando grupos de produtores de diferentes regiões do Paraná. O objetivo é explorar o potencial produtivo destas localidades, tais como o Norte Pioneiro e a Região Metropolitana de Curitiba (RMC), onde a fruta possui valor significativo. Neste processo, o SENAR-PR atua de forma presente e ativa, estabelecendo parcerias e levando capacitações aos produtores de morangos destas regiões.

Com essa proposta, um grupo de produtores do Norte Pioneiro esteve no município de Mandirituba, na RMC, no dia 19 de agosto, para conhecer propriedades que já possuem modelos de produção pautados pelas Boas Práticas Agrícolas (BPA) e que têm interesse em obter certificação em Produção Integrada de Morango (PIMo).

O produtor Silvio Galvan, que participou do curso “Boas Práticas Agrícolas” em Mandirituba, foi um dos anfitriões. Para ele, a parceria com o SENAR-PR é fundamental para essa mudança de pensamento dos produtores do município. “Comecei na produção de morangos há um ano, mas ainda não era adepto das boas práticas. Não percebia esse diferencial no dia a dia até fazer o curso. O produtor de morangos precisa se manter no mercado e, para isso, é necessário um produto diferenciado, desde o início da produção até a comercialização, para que chegue ao mercado com valor agregado”, explicou.

Atualmente, Galvan possui estufas com 20 mil pés de morangos – a meta é 100 mil pés em três anos. “Hoje eu tenho mais controle em tudo, desde adubação, pragas e doenças, até o planejamento de custos dentro da propriedade”, destacou. Ainda, o produtor pretende conquistar a certificação em PIMo. “Com isso, o produto terá mais rastreabilidade e existe confiança sobre o que se está consumindo”, completou.

De acordo com a engenheira agrônoma do SENAR-PR Vanessa Reinhart, além da capacitação, os produtores de Mandiritituba receberam acompanhamento técnico e passaram por avaliações para verificação das adequações e requisitos necessários em relação ao cumprimento das Boas Práticas Agrícolas. “A intenção, agora, é realizar esse trabalho com os produtores da região de Pinhalão”, afirmou.

Seguindo o exemplo

Um dos participantes da visita foi o produtor Wesley Luiz de Paula, que possui cerca de 12 mil pés de morangos nos municípios de Pinhalão e Japira, no Norte Pioneiro. Wesley participou da oficina de Manejo Integrado de Pragas (MIP) no morango, realizada no início deste ano, e pretende iniciar na produção integrada, como foco na certificação.

A partir do curso, uma das principais mudanças na produção de Wesley foi a racionalização do uso de agroquímicos, que está há 12 anos envolvido com a produção de morangos. Atualmente, ele diminuiu o uso de produtos em até sete vezes. “Foi um dos melhores cursos que já fiz. Mudei muito a minha opinião. O custo benefício é muito bom”, elogiou.

O próximo objetivo de Wesley é construir uma estufa e instituir as boas práticas. “Quero melhorar a produção. Não estou tão interessado em preço, mas o benefício de menos uso de agrotóxicos e menor gasto com isso”, relatou.

Marcelo Siqueira, que tem contato com produção de morangos desde criança, também esteve na visita. Na estufa semi-hidropônica, com cerca de 10 mil pés no município de Jaboti, ele reduziu o uso de defensivos agrícolas em 80%. Ainda, para o produtor, a troca de experiências entre os participantes serve de estímulo para sair da zona de conforto. “Nós temos o mesmo objetivo, que é melhorar a produção. Então quando o produtor vem para um lugar diferente, ele percebe que consegue produzir mais e com mais sustentabilidade”, revelou.

Além disso, para Siqueira, uma das vantagens de uma produção baseada em boas práticas agrícolas é o maior valor agregado ao morango. Tanto que o próximo passo é completar a mudança do conceito de produção, com boas práticas e foco na certificação em PIMo. “Eu já estou nesse processo e quero que outros produtores venham junto”, afirmou.

Segundo a professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e coordenadora do grupo técnico PIMo-PR, Maria Aparecida Zawadneak, mostrar bons resultados na prática é uma forma de conscientizar os produtores de morango sobre a importância de implantarem novos modelos de sustentabilidade. “O morango evoluiu muito nos últimos anos. O produtor que não procurar avançar e trazer novas tendências para sua propriedade, estará fora do mercado”, observou.

Promoção

A visita do grupo de produtores do Norte Pioneiro às propriedades em Mandirituba foi organizada pelo Sebrae-PR em parceria com o SENAR-PR e a Emater. Segundo o consultor do Sebrae-PR Alcione Marques Fernandes, o objetivo é capacitar os produtores para conseguir o registro de Indicação Geográfica (IG) do morango da região de Pinhalão.

Título da Postagem: SENAR-PR possibilita troca de experiências entre produtores

imprensa@faep.com.br