Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 20/07/2016 - 16h50
Postado em Destaques, Pecuária de Corte

20/07/2016 16h50 - Postado em Destaques, Pecuária de Corte

Selo Carne Carbono Neutro reforça o trabalho do programa Pecuária Moderna

A marca-conceito atesta a procedência da carne bovina produzida com alto grau de bem-estar animal, uma demanda crescente dos mercados consumidores no exterior

O trabalho do programa Pecuária Moderna, promovido pelo governo estadual em parceria com outras entidades como a FAEP para fortalecer e modernizar a bovinocultura de corte no Paraná por meio de ferramentas de gestão, comercialização e da organização dos produtores, ganhou um novo aliado. Na semana passada, na 20ª reunião ordinária do Comitê Gestor Central do programa, ocorrida na sede da FAEP, em Curitiba, os integrantes do grupo puderam conhecer detalhes do selo Carne Carbono Neutro (CCN), desenvolvido pela Embrapa Gado de Corte.

A marca-conceito atesta a procedência da carne bovina produzida com alto grau de bem-estar animal, uma demanda crescente dos mercados consumidores no exterior. O conceito e a prática são simples: a carne deve ser originária de bovinos produzidos em locais onde há presença de árvores, em sistemas em integração do tipo silvopastoril (pecuária-floresta) ou agrossilvopastoril (lavoura-pecuária-floresta). Desta forma, ocorre a neutralização dos gases emitidos pelos animais – ou seja: a produção de oxigênio pela fotossíntese feita pelas árvores compensa a emissão de gases feita pelos animais. O metano entérico, exalado pelos bovinos, é um dos principais gases responsáveis pelo efeito estufa que provoca o aquecimento global.

“É da natureza do animal e hoje nós podemos neutralizar. No futuro próximo, não será possível discutir pecuária de corte sem passar por árvores”, destaca Vanderlei Porfírio da Silva, pesquisador da Embrapa Florestas e responsável pela apresentação do CCN para o Comitê. Assim, a integração já praticada no Paraná aparece como uma tendência irreversível para a produção de carnes.

Apesar de parecer um conceito novo, a manutenção da pecuária de corte aliada às árvores é antiga no Paraná. Existem propriedades que realizam o consórcio desde a década de 1980. “Isso prova que a tecnologia funciona”, garante Porfírio. Atualmente, são mais de 500 áreas cadastradas em todas as regiões do Estado.

O consórcio de gado de corte com árvores não se restringe ao Paraná. Outros sete Estados também possuem fazendas com o sistema. No Mato Grosso, por exemplo, já são mais de 100 mil hectares dedicados à Carne Carbono Neutro. “Não existe uma receita pronta. Mas tem um conceito que podemos adaptar a qualquer região do país”, destaca o pesquisador.

Leia a matéria completa no Boletim Informativo da FAEP.

Título da Postagem: Selo Carne Carbono Neutro reforça o trabalho do programa Pecuária Moderna

imprensa@faep.com.br