Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 10/01/2014 - 14h13
Postado em Pecuária de Corte, Sanidade

10/01/2014 14h13 - Postado em Pecuária de Corte, Sanidade

Paraná reabre mercado de carne bovina para o Irã

Depois de mais de dois anos de comércio suspenso, o Irã voltará a comprar carne bovina do Paraná. O acordo preliminar foi firmado nesta quinta-feira (08) durante encontro entre o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Inácio Afonso Kroetz, e o representante da Organização Veterinária do Irã (IVO) no Brasil, Mohammad Reza […]

bovino 1Depois de mais de dois anos de comércio suspenso, o Irã voltará a comprar carne bovina do Paraná. O acordo preliminar foi firmado nesta quinta-feira (08) durante encontro entre o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Inácio Afonso Kroetz, e o representante da Organização Veterinária do Irã (IVO) no Brasil, Mohammad Reza Jabari, na sede da Adapar, em Curitiba. O acordo deve ser formalizado na próxima semana, quando o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento for oficialmente comunicado. A partir disso, o Irã retomará efetivamente o mercado com frigoríficos paranaenses.

O embargo por parte do Irã à carne paranaense aconteceu em 2010, após a detectação de um potencial causador do Mal da Vaca Louca em um animal morto em 2010, no Norte do Estado. “Isso mostra que cada vez mais os mercados estão exigentes e rigorosos. Não é apenas o controle e erradicação do vírus da febre aftosa que garante as relações comerciais na área da pecuária”, disse Kroetz. Ele explica que foi por causa desse rigor cada vez mais presente no comércio internacional que o Governo do Paraná criou a Adapar, para que houvesse uma instituição ágil e eficiente no controle da sanidade agropecuária.

“Com estruturas oficiais de controle sanitário mais eficientes podemos atingir mercados que agregam maior valor ao produto paranaense”, explicou. Kroetz enfatizou ainda que o trabalho da Adapar é feito em parceria e consonância com as regras federais e internacionais, que orientam os estados na conquista de mercados novos e também para a retomada daqueles que foram perdidos.

Atualmente, o principal mercado para a carne do Brasil é Hong Kong, seguido da Rússia e da Comunidade Europeia. O próximo passo, disse Kroetz, será a conquista de mercados como Japão, Coréia do Sul e também o mercado de carne fresca para os Estados Unidos, onde a possibilidade de agregação de valor aos produtos paranaenses são ainda melhores.

NEGOCIAÇÕES – As negociações com o Irã começaram em 2013 e se intensificaram em dezembro, em Foz do Iguaçu, durante a 3ª Conferência Internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a partir do encontro com o chefe da Organização Veterinária do Irã, Seyed Mohsen Dastoor.

O diretor-presidente da Adapar falou da importância do trabalho da agência no controle sanitário dos animais e produtos agropecuários paranaenses para retomar mercados. “O importante é termos a confiança e credibilidade junto aos nossos parceiros”, disse. Para ele, é preciso demonstrar e comprovar total transparência e confiabilidade nos procedimentos de certificação dos produtos e na comunicação, quando houver ocorrência de vírus ou bactérias que possam colocar em risco a sanidade dos produtos exportados.

“Os compradores querem saber se temos agilidade e eficácia no controle das doenças a ponto de evitar focos de contaminação em outros países. Estamos demonstrando ao serviço de defesa sanitária do Irã que a carne paranaense tem qualidade e segurança na origem”, explicou. O representante do serviço de defesa veterinária do Irã disse estar satisfeito com as informações prestadas pela Adapar e com o cumprimento das exigências para o comércio internacional.

Fonte: AEN

Título da Postagem: Paraná reabre mercado de carne bovina para o Irã

imprensa@faep.com.br