Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 18/10/2013 - 12h00
Postado em Hortifruticultura

18/10/2013 12h00 - Postado em Hortifruticultura

O paraíso das plantas medicinais e temperos é Mandirituba

O Paraná lidera a produção nacional de plantas medicinais, aromáticas e condimentares cultivadas respondendo por 90% da produção nacional numa área de 6 mil hectares. Por ano são 36 mil toneladas envolvendo 1.300 pequenos agricultores. Em 2010 o Valor Bruto da Produção (VBP) dessa cadeia atingiu a cifra de 32 milhões de reais. O clima […]

O Paraná lidera a produção nacional de plantas medicinais, aromáticas e condimentares cultivadas respondendo por 90% da produção nacional numa área de 6 mil hectares. Por ano são 36 mil toneladas envolvendo 1.300 pequenos agricultores. Em 2010 o Valor Bruto da Produção (VBP) dessa cadeia atingiu a cifra de 32 milhões de reais. O clima paranaense, que varia de sub-tropical ao temperado, aliado ao solo rico,  permitem que sejam cultivadas mais de 80 espécies.
A Alemanha, maior centro de comércio de plantas medicinais, afirma que o Paraná tem todas as condições de ser líder desse mercado. A informação é do engenheiro agrônomo e coordenador estadual de Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares da Emater, Cirino Correa Junior.

Ele comenta que quando começou a acompanhar esse segmento há 30 anos haviam apenas 100 hectares cultivados com camomila, atualmente são mais de 3 mil. “Apesar da grande produção brasileira ainda há déficit no abastecimento e importamos da Argentina, Egito e Eslováquia, cerca de 30% do consumo – aproximadamente 5 milhões de dólares/ano.É um mercado que cresce no Brasil mais de 12% ao ano”, diz.

Quando o produtor segue as orientações técnicas de manejo como o policultivo; rotação de culturas alternando folhas/flores e raízes e produção em faixas, consegue obter uma renda líquida de R$ 17 mil reais por ano por hectare. “A atividade é considerada de alta rentabilidade e exige um produtor com perfil diferenciado com mão de obra e que conheça a cultura”, diz.
Correa orienta que além do plantio o produtor precisa se organizar em associações ou cooperativas para montar uma infraestrutura para secagem, armazenagem e embalagem dos produtos. “Esse mercado trabalha com produtos secos e é o beneficiamento que garante a boa rentabilidade ao produtor”, completa.

Leia a matéria completa, clique aqui

Título da Postagem: O paraíso das plantas medicinais e temperos é Mandirituba

imprensa@faep.com.br