Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 02/09/2013 - 12h00
Postado em Notícias

02/09/2013 12h00 - Postado em Notícias

Monsanto prepara sucessor do Roundup Ready

Em meio aos crescentes problemas com a resistência de ervas daninhas ao agrotóxico glifosato, a Monsanto se prepara para lançar nos Estados Unidos o produto que deve, finalmente, substituir a tecnologia Roundup Ready (RR), que inaugurou o uso de transgênicos na agricultura e transformou a companhia de St. Louis na líder mundial em biotecnologia agrícola. […]

Em meio aos crescentes problemas com a resistência de ervas daninhas ao agrotóxico glifosato, a Monsanto se prepara para lançar nos Estados Unidos o produto que deve, finalmente, substituir a tecnologia Roundup Ready (RR), que inaugurou o uso de transgênicos na agricultura e transformou a companhia de St. Louis na líder mundial em biotecnologia agrícola.

Até 2015, a companhia espera colocar no mercado sementes de soja geneticamente modificadas para sobreviver tanto ao glifosato quanto ao herbicida dicamba. Segundo a Monsanto, a tecnologia também torna as plantas mais produtivas que as variedades convencionais.

O novo transgênico, batizado de RR 2 Xtend é a principal aposta da companhia para manter a liderança no segmento – hoje, a tecnologia RR está presente em quase 90% das lavouras comerciais de soja dos Estados Unidos e do Brasil.

Mas, ao contrário de sua antecessora, que reina sozinha há mais de 15 anos, a RR2 Xtend deverá enfrentar uma concorrência acirrada. Dow AgroSciences, Bayer CropScience e Syngenta também prometem lançar novos transgênicos resistentes a herbicidas nos próximos anos.

O lançamento da RR2 Xtend no mercado americano aguarda apenas a liberação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que recentemente pediu mais tempo para estudar os impactos da tecnologia no meio ambiente. Segundo o presidente e diretor comercial da Monsanto, Brett Begemann, o produto só deve chegar ao Brasil entre 2018 e 2020.

A Monsanto também prepara, já para a próxima safra americana, o lançamento de um sistema de agricultura de precisão chamado FieldScripts – parte de um esforço de diversificação da companhia, ainda muito atrelada aos transgênicos.

O FieldScripts é um aplicativo destinado a aumentar a eficiência do plantio. O software é instalado em uma plantadeira de precisão e, com base em amostras de solo e índices de produtividade repassados pelo agricultor à Monsanto, indica como o cultivo deve ser realizado a fim de maximizar o potencial de produtividade da terra.

O sistema determina a quantidade de sementes por hectare, a profundidade em que a semente deve ser colocada e a variedade mais apropriada de semente para cada tipo de solo.

"A máquina avalia a qualidade do solo e coloca menos sementes onde a condição é ruim e mais onde é melhor. Também podem ser plantadas sementes com tecnologias diferentes em cada área, de acordo com a necessidade", explica o gerente do Centro de Aprendizado da Monsanto, Troy Coziah. A Monsanto ainda não divulgou como vai cobrar pelo serviço.

Para se manter "líder na indústria de pesquisas", a Monsanto Company anunciou que vai investir US$ 400 milhões em 2013 e 2014 no centro de Pesquisa de Chesterfield, em St. Louis. Além de mais área física para pesquisadores, a área de estufas deve passar de um hectare para dois hectares.

O jornalista viajou a convite da Monsanto

Valor Online

imprensa@faep.com.br