Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 21/01/2014 - 10h19
Postado em Agronegócios, Notícias, Outras culturas

21/01/2014 10h19 - Postado em Agronegócios, Notícias, Outras culturas

Marialva registra perdas na uva seis meses após geadas

Produtores colhem só dois terços das parreiras de uva fina. Preços compensam parte dos prejuízos

tn_620_600_uvasCapital da uva fina no Paraná, Marialva confirma agora as consequências das geadas de julho a setembro de 2013. Dos 1,2 mil hectares de parreiras, só 800 estão sendo colhidos. Mas quem fez a poda após o frio está compensando parte das perdas. As frutas estão mais caras e mais saborosas.

Os viticultores têm conseguido até R$ 4 por quilo, cerca de 30% a mais do que no mesmo período de 2013. Os preços foram alavancados porque a produção de uva fina em Jales e São Miguel Arcanjo (SP) ainda não entrou no mercado, o que reduziu a oferta.

O frio também alterou o calendário da colheita, feita tradicionalmente em dezembro. Muitos produtores ainda estão encerrando as atividades. “A produção foi menor, mas a uva está doce e graúda”, diz o diretor da Cooperativa Agroindustrial de Viticultores (Coavit), Antônio Peres. O clima seco de novembro e dezembro deixou a uva mais doce.

Segundo a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Marialva, perto de 50% da receita agrícola do município é proveniente da viticultura. A arrecadação chega a R$ 100 milhões por ano. Mais da metade é obtida na safra de verão. Os prejuízos ainda não foram computados.

Benedito Castellari contabiliza as perdas. Ele esperava produzir 2 toneladas, mas só colheu metade e diz estar desanimado. “Está caro para plantar e a gente nem tem garantia se vai colher.”

Fonte: Gazeta do Povo 21/01/2014

Título da Postagem: Marialva registra perdas na uva seis meses após geadas

imprensa@faep.com.br