Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 03/09/2013 - 12h00
Postado em Notícias

03/09/2013 12h00 - Postado em Notícias

FAEP cobra pendências do Plano Safra no seguro e no financiamento de caminhões

As operações de custeio e investimento da safra 2013/14 correm soltas, mas dois pontos chave do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) estão pendentes, conforme a Federação da Agricultura do Paraná (Faep). Os R$ 700 milhões anunciados para subvenção do seguro rural ainda não estão disponíveis e a compra de caminhões pelo Programa de Sustentação do […]

As operações de custeio e investimento da safra 2013/14 correm soltas, mas dois pontos chave do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) estão pendentes, conforme a Federação da Agricultura do Paraná (Faep). Os R$ 700 milhões anunciados para subvenção do seguro rural ainda não estão disponíveis e a compra de caminhões pelo Programa de Sustentação do Investimento (PSI) depende de portaria do Ministério da Fazenda. A Faep faz pressão política em Brasília cobrando definições sobre as duas questões. O costumeiro atraso na liberação dos recursos do seguro torna-se grave porque, neste safra, a contração é obrigatória não só para pequenos (que acessam o Pronaf e acionam o Proagro), mas também para os médios produtores (que usam o Pronamp e precisam assinar contratos com seguradoras privadas), conforme o presidente da Faep, Ágide Meneguette. O financiamento de caminhões pelo PSI, com juro de 3,5% ao ano, é apontado como um estímulo a investimentos que podem reduzir o custo do frete na próxima colheita, que tende a ser recorde.

Saiba mais:

3,5% ao ano é o juro do PSI atualmente. A taxa é apontada como leme das vendas de máquinas agrícolas e deveria cobrir a compra de caminhões a partir deste ano. Era de 5,5% até agosto de 2012, baixou para 2,5% até dezembro, subiu a 3% até junho deste ano e agora é de 3,5%.

11 milhões de hectares devem ser cobertos com seguro rural nesta temporada, conforme previsão do governo federal. No último ano, a área segurada tinha metade desse tamanho, com uso de R$ 318 milhões. As seguradoras ainda estariam esperando repasse de R$ 136 milhões.

Fonte: Gazeta do Povo

imprensa@faep.com.br