Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 29/04/2016 - 15h22
Postado em Destaques, Sanidade

29/04/2016 15h22 - Postado em Destaques, Sanidade

É hora de vacinar!

A partir do dia 1º de maio, bovinos e búfalos com idade até 24 meses precisam ser imunizado contra a febre aftosa

A partir do próximo domingo, 1º de maio, os pecuaristas paranaenses têm compromisso em defesa da sanidade animal do Estado. Ao longo do mês que está começando, os bovinos e búfalos com idade até 24 meses precisam ser imunizado contra a febre aftosa. A expectativa é vacinar 4,2 milhões de cabeças até o dia 31 de maio, prazo final da primeira etapa da campanha.

A vacinação tem papel fundamental na prevenção e erradicação da doença. Atualmente, o Paraná é reconhecido como área livre de febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). O processo de imunização é simples, o que permite agilidade e garantias a cadeia pecuária do Estado.

“O produtor já está habituado com o processo. Nossa meta é sempre imunizar 100% do rebanho. A média das últimas campanhas gira em torno de 97%. Depois sempre acabamos realizando ações complementares em busca dos produtores refratários”, explica Walter Ribeirete, coordenador do programa de febre aftosa da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar).

A imunização dos animais precisa ser comprovada por meio da nota fiscal de compra da vacina e o formulário de comprovação de vacinação, que podem ser adquiridos nas casas agropecuárias. Após o processo, os documentos precisam ser preenchidos e entregues nas unidades locais da Adapar. Outra opção é fazer a comprovação de forma online, pelo site www.adapar.pr.gov.br.

A segunda etapa da campanha de vacinação está marcada para novembro. Na ocasião, todos os bovinos e búfalos do Estado precisam se imunizados, inclusive os bezerros com poucos dias de vida. De acordo com dados da Adapar, o rebanho paranaense destes animais é de 9,3 milhões de cabeças.

Punição

O produtor que não vacinar e/ou não comprovar será multado. De acordo com a legislação estadual, a multa mínima, para rebanhos de até 10 cabeças, é de R$ 915. O valor aumenta conforme a quantidade de animais. Além disso, o dono da propriedade será proibido de transportar seus animais para qualquer finalidade.

Dicas

– Conserve a vacina em local resfriado, na geladeira ou caixa isotérmica com gelo. Nunca expor ao sol. Transporte a vacina da loja agropecuária até a propriedade em caixa isotérmica com gelo, mantendo-a refrigerada até o momento da aplicação.

– Aplique a vacina com agulhas e seringas bem limpas e desinfetadas para evitar contaminações. Antes de usar, deixe a seringa e agulhas em água fervente por 10 minutos. Agite bem o frasco antes de usar.

– A dose a ser aplicada é de 5 ml, para todas as idades, tamanho e peso do animal. Nunca aplique menos do que essa dosagem.

– Aplique a vacina na tábua do pescoço, via subcutânea ou intramuscular. Evite aplicar no posterior (“traseiro”) do animal que é região de carne nobre.

– Realize a vacinação o quanto antes, não deixando para os últimos dias da campanha.

Título da Postagem: É hora de vacinar!

imprensa@faep.com.br