Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 12/09/2012 - 12h00
Postado em Notícias

12/09/2012 12h00 - Postado em Notícias

Aveia branca forrageira aumenta produção

IPR Esmeralda, lançamento do Iapar, se encaixa bem ao sistema produtivo, eleva produção de leite e carne, controla a buva e produz muita palhada.

Elevada produção de matéria seca, alta capacidade de perfilhamento e rebrote e bom rendimento de sementes e ciclo precoce. São essas as principais características da nova cultivar de aveia branca forrageira que o Instituto Agronômico do Paraná, Iapar, está lançando. Sem variedades com características semelhantes no mercado, a IPR Esmeralda é recomendada para o sistema plantio direto e também para Integração Lavoura Pecuária em consórcio com aveias de ciclo longo.

Experimentos conduzidos pelo próprio Iapar mostraram também que quando adotada para alimentação de bovinos é capaz, por si só, de elevar a produtividade de leite e carne. De acordo com o pesquisador da entidade Elir de Oliveira, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do novo material, um ganho significativo na produção com pouco esforço.

Oliveira explica que a aveia branca como forrageira tem a grande vantagem de ter uma melhor palatabilidade, por isso tem a preferência dos animais se comparada à aveia preta comum. A ingestão espontânea de alimentos é maior e esse maior consumo reflete-se na elevação da produção de leite ou de carne (ouça a íntegra da entrevista).

"Nos testes que fizemos, observamos no campo a preferência do gado pela aveia branca. Houve uma produção de meio litro de leite a mais por animal ao dia, quando comparado com a aveia preta. Se considerarmos um plantel de 40 vacas em lactação, representaria 20 litros a mais por dia, em um mês 600 litros e, num ciclo de 3 meses, seriam 1800 litros a mais de leite durante o inverno só pelo fato de ter a aveia branca como opção para os animais", exemplifica.

Eficiente na cobertura do solo

Outra vantagem é que se trata de um material precoce. Não só da emergência até o florescimento, mas também na velocidade de crescimento após a emergência. O pesquisador explica que, enquanto a aveia preta comum floresce com 100 dias, a Esmeralda o faz com 96 dias. As outras aveias brancas forrageiras florescem em torno de 134 ou 135 dias. Tal precocidade é importante para ajudar a formar palhada em quantidade e com rapidez no sistema plantio direto nas regiões em que predominam a soja e o milho safrinha. Serve, inclusive, para o controle da buva, significando economia no uso de herbicidas.

Portal Dia de Campo – Rio de Janeiro/RJ – PACOTES TECNOLÓGICOS

imprensa@faep.com.br