Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 14/06/2016 - 14h34
Postado em Destaques, Notícias

14/06/2016 14h34 - Postado em Destaques, Notícias

Agronegócio brasileiro perde o ‘pai do vazio sanitário’

José Tadashi Yorinori, considerado um dos mais renomados fitopatologista do país, faleceu na madrugada desta terça-feira (14), em Londrina

O fitopatologista , um dos mais conhecidos pesquisadores de soja do Brasil, faleceu na madrugada desta terça-feira (14), em Londrina, no Norte do Paraná. Yorinori sofreu uma queda da escada, no fim de abril, e estava internado no Hospital do Coração. Ele morreu aos 72 anos.

Tadashi era engenheiro agrônomo formado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), com mestrado na Universidade de Cornell e doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Illinois (EUA). Tinha mais de 40 anos de pesquisas dedicadas à soja, especialmente em doenças como a ferrugem asiática. É conhecido como pai ‘do vazio sanitário’, em referência ao período de proibição de permanência de plantas da oleaginosa nas lavouras.

O combate ao cancro da haste também foi outro estudo do fitopatologista. Descoberta no país em 1984, o fungo causava severas perdas, que podiam chegar até 100% da produção. Os prejuízos eram bilionários.

“Tadashi era um legítimo bicho do agronegócio paranaense. Se formou na UFPR e por anos trabalhou na Embrapa e no Iapar. Mas suas pesquisas ultrapassaram os limites do estado e até mesmo do Brasil. Foram décadas de dedicação as questões fitossanitárias, com incansáveis estudos e esforços para combater as doenças, principalmente a ferrugem asiática, que desafiam os produtores diariamente. É uma perda muito grande, mas o seu legado, como o vazio sanitário, será preservado para sempre”, ressaltou Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR.

O pesquisador iniciou seu trabalho no Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e trabalhou na Embrapa Soja, de 1978 a 2007. Atualmente, atuava como consultor para produtores rurais e entidades ligadas ao setor produtivo no Brasil e no exterior.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Soja) decretou luto oficial por três dias. A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) divulgou uma nota lamentando a morte do fitopalogista.

Tadashi deixa esposa, quatro filhos e três netos. O velório será realizado na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina, a partir das 15horas desta terça-feira (14). O sepultamento será nesta quarta-feira (15), às 10h30, no Cemitério São Pedro, também em Londrina.

Título da Postagem: Agronegócio brasileiro perde o ‘pai do vazio sanitário’

imprensa@faep.com.br