Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 02/06/2017 - 10h20
Postado em Agrinho, Destaques, Senar - PR

02/06/2017 10h20 - Postado em Agrinho, Destaques, Senar - PR

Agrinho em terras portuguesas

Parceria com universidade de Portugal pode levar o programa do SENAR-PR para diversos países de língua portuguesa

Depois de ser replicado em outros estados brasileiros, o Programa Agrinho deve se internacionalizar. No dia 29 de maio, o SENAR-PR recebeu em sua sede, em Curitiba, a vice-reitora da Universidade Aberta (UAb) de Portugal, Carla Padrel de Oliveira, e a professora Daniela Vieira, para tratar de uma parceria com a instituição portuguesa.

O objetivo é trabalhar a formação dos professores portugueses para a utilização dos materiais pedagógicos do Agrinho. Segundo Carla, além de Portugal, esta formação deve contemplar futuramente, por meio da UAb, outros países de língua portuguesa, como Angola e Moçambique, onde a agricultura tem grande importância. A UAb é a única instituição de ensino superior público à distância em Portugal e trabalha com 47 países.

Segundo a pedagoga Patrícia Lupion, consultora do SENAR-PR, trata-se de um acordo que poderá trazer benefícios às duas partes. A UAb possui uma expertise de mais de 30 anos de atuação na área de educação à distância, com técnicas e tecnologias consolidadas. “O interesse é mútuo. Nós podemos utilizar o ambiente virtual deles para nossos cursos à distância e eles poderão utilizar o material do Agrinho, que já foi chancelado pela Unesco”, avalia.

A UAb e o SENAR-PR vão discutir as bases para um convênio formal de colaboração, que poderá ser assinado em breve, abrindo novas possibilidades educacionais para os produtores paranaenses e levando o Programa Agrinho para outros países.

O Agrinho é a principal ação de responsabilidade social do Sistema FAEP/SENAR-PR. Seu objetivo central é levar às salas de aula, principalmente do interior do Estado, temas transversais, como saúde, segurança pessoal, meio ambiente, sexualidade, ética, entre outros. Com isso, a proposta é despertar a criatividade e a capacidade crítica nas crianças, levando-as à compreensão das relações que existem entre os meios urbano e rural.

Neste ano, o Agrinho completa 22 anos de existência. Ao longo desse tempo mais de uma geração de jovens foi tocada pelas suas discussões e pelos seus trabalhos. A cada ano o programa envolve cerca de 80 mil professores e 1 milhão de crianças em todas as regiões do Paraná.

Título da Postagem: Agrinho em terras portuguesas

imprensa@faep.com.br