Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 13/01/2012 - 12h00
Postado em Notícias

13/01/2012 12h00 - Postado em Notícias

Vacinação contra febre aftosa no Paraguai deve atingir 11 milhões de animais

Imunização vai levar 30 dias e pretende evitar novos focos da doença no país

O diretor do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal do Paraguai (Senacsa), Miguel Barboza, afirmou nessa quinta, dia 12, que a vacinação dos animais no Paraguai será de 1º de fevereiro até 2 de março e deve alcançar 11 milhões de animais.

– Receberão suas doses todos os bois, vacas e ovelhas. A diferença em relação a anos anteriores é que desta vez o Estado assumirá o comando da imunização em todo país – afirmou Barboza.

Desde 2004 o Paraguai era considerado um país livre de aftosa com vacinação, até que em setembro de 2011 se descobriu um foco da doença no departamento de São Pedro, que afetou um total de 820 bovinos. Todos os animais tiveram que ser sacrificados. Um segundo foco de febre aftosa foi identificado no dia 4 de janeiro na mesma região e foram sacrificados 154 bovinos e oito suínos.

Mesmo com as ocorrências de febre aftosa no país, o Paraguai chegou a atingir US$ 800 milhões em exportações de carne bovina em 2011. Porém o valor foi US$ 70 milhões menor que no ano anterior.

Os frigoríficos instalados em 16, dos 17 departamentos do país, excluindo o de São Pedro onde foram verificados os focos da doença, podem continuar vendendo carne ao Exterior. Os principais destinos do produto paraguaio são os mercados da Rússia e Chile. O primeiro país não tomou nenhuma medida restritiva, porém os chilenos fecharam suas fronteiras para carne paraguaia.

A Senacsa informou que uma equipe de especialistas em saúde animal do Brasil está inspecionando frigoríficos do Paraguai habilitados para exportar carne. A inspeção segue até as próximas semanas.

Fonte: Canal Rural

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom