Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 14/02/2011 - 12h00
Postado em Notícias

14/02/2011 12h00 - Postado em Notícias

Setor produtivo do PR quer ampliação do prazo de plantio

Representantes do setor produtivo paranaense querem que o prazo de plantio da segunda safra de milho, mais conhecida como safrinha, seja estendido em 20 dias no Estado, caso contrário, um grande número de produtores rurais não vai conseguir implantar a lavoura dentro dos limites estabelecidos por meio do zoneamento agrícola definindo pela portaria nº 424/2010, […]

Representantes do setor produtivo paranaense querem que o prazo de plantio da segunda safra de milho, mais conhecida como safrinha, seja estendido em 20 dias no Estado, caso contrário, um grande número de produtores rurais não vai conseguir implantar a lavoura dentro dos limites estabelecidos por meio do zoneamento agrícola definindo pela portaria nº 424/2010, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). "Isso poderá resultar em prejuízos enormes ao agricultor, que corre o risco de não ter acesso ao crédito rural e de ficar sem a cobertura do Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) e do seguro rural, caso ocorra algum prejuízo decorrente de perdas por intempéries climáticas", ressalta o analista técnico e econômico da Ocepar, Robson Mafioletti.

Atraso – No Paraná, o plantio do milho safrinha deve ser feito entre o dia 1º de janeiro até 20 de março, dependendo do município, de acordo com a portaria nº 424, do Mapa. Mas os produtores estão demorando mais para fazer a semeadura devido ao atraso no cultivo e ao prolongamento do ciclo da soja, sendo que uma cultura é implantada na sequência da outra. A preocupação do setor produtivo é que, se não forem tomadas medidas para amparar os produtores agora, além dos danos imediatos que eles podem sofrer, a área de milho safrinha possa reduzir nos próximos anos.

Abastecimento – "O milho segunda safra é importante dentro do sistema de rotação de cultura e como alternativa de renda ao produtor durante o outono e o inverno. Mas, sobretudo, é indispensável ao abastecimento do mercado interno", afirmam a Ocepar, a Faep e a Seab em ofício encaminhado ao Mapa, nesta quinta-feira (10/02), solicitando a ampliação do prazo de cultivo do milho safrinha no Paraná. O documento foi encaminhado ao ministro da Agricultura, Wagner Rossi; ao Diretor do Departamento de Gestão de Risco Rural, Welington Soares de Almeida; ao Secretário de Política Agrícola, Edilson Guimarães, e ao Coordenador-Geral do Zoneamento Agropecuário, Gustavo Bracale.

Relação estoque /consumo – As três entidades lembram que no Paraná há uma previsão de plantio de 1,5 milhão de hectares de milho de 2ª safra para 2011, com expectativa de produção de 6,6 milhões de toneladas, equivalendo à aproximadamente 30% da produção nacional do milho de segunda safra. "Nos últimos anos, o cultivo de segunda safra aumentou sua importância. Há cinco anos, em 2005/06, a produção do milho safrinha era de 10,7 milhões de toneladas, correspondendo a 27% da demanda brasileira. Conforme a Conab, para 2011 está prevista uma produção de 21,6 milhões de toneladas nesta safra, que responde por 46% do consumo nacional", ressaltam no ofício. "A manutenção e expansão de áreas de plantios da 2º safra de milho torna-se ainda mais relevante frente à redução na relação estoque/consumo observada para 2011. Nas safras 2007/08 e 2008/09, essa relação era de 26%, baixando para 23% em 2009/10, e atualmente estima-se uma relação de 21%. Assim, uma diminuição do plantio do milho safrinha comprometeria substancialmente o abastecimento nacional", frisam a Ocepar, Faep e Seab no documento enviado ao Mapa. 

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom