Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 09/02/2011 - 12h00
Postado em Notícias

09/02/2011 12h00 - Postado em Notícias

Relatório USDA – fevereiro 2011

Soja: USDA frustra mercado mantendo estoques americanos em 3,82 milhões de toneladas O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgou nesta manhã, o relatório de fevereiro/11, com a oferta e demanda mundial. Ao contrário do aguardado pelo mercado, o relatório manteve os estoques americanos em 3,82 milhões de toneladas, aliás como já era esperado […]

Soja: USDA frustra mercado mantendo estoques americanos em 3,82 milhões de toneladas

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgou nesta manhã, o relatório de fevereiro/11, com a oferta e demanda mundial. Ao contrário do aguardado pelo mercado, o relatório manteve os estoques americanos em 3,82 milhões de toneladas, aliás como já era esperado por alguns. Na opinião destes especialistas, a estratégia objetiva segurar uma nova explosão de preços do grão no mercado internacional.Tal acontece porque os Estados Unidos se defrontam com um quadro de estoques apertados e a demanda chinesa sinaliza continuidade.

Já para a Argentina, os números de produção foram reajustados de 50,5 para 49,5 milhões de toneladas.  Quanto ao Brasil, a produção foi elevada de 67,5 para 68,5 milhões de toneladas.

Com isso, a produção mundial na safra 2010/11 passou de 255,5 para 256,1 milhões de toneladas.O consumo mundial ficou em 255,3 milhões de toneladas e os estoques mundiais estimados em 58,2 milhões de toneladas. A relação estoque final/consumo é de 22,8%.
Os três principais produtores mundiais de soja (Estados Unidos, Brasil e Argentina) somam 208,6 milhões de toneladas (81% do total mundial).

Estados Unidos – O relatório manteve os mesmos números de janeiro: produção de 90,6 milhões de toneladas, consumo de 48,0 milhões de toneladas e estoque final de 3,82 milhões de toneladas.

Brasil – A produção brasileira foi elevada para 68,5 milhões de toneladas. As exportações passaram para 32,3 milhões de toneladas e o estoque final previsto é de 14,9 milhões de toneladas. 

Argentina -Em função da estiagem nasprincipais regiões produtoras, o USDA cortou a produção argentina em um milhão de toneladas, ou seja, passou de 50,5para 49,5 milhões de toneladas e as exportações cortadas em 900 mil toneladas, ficando em 11,6 milhões de toneladas.

China – Principal mercado comprador mundial, as importações chinesas foram mantidas em 57 milhões de toneladas.

Milho: Safra mundial 2010/11reajustada para814,2 milhões de toneladas.

A produção mundial de milho na safra 2010/11 deverá ser de 814,2e não mais de 816,0 milhões de toneladas. É o que indica o relatório do USDA de fevereiro. Quanto aos estoques finais, as estimativas foram reajustadas para 122,5 contra 127,0 milhões de toneladas constantes do relatório de janeiro/11. As exportações mundiais passaram de 91,4 para 90,3 milhões de toneladas. De acordo com o USDA, a relação estoque final/consumo mundial baixou para 15%.

Estados Unidos – O relatório manteve a produção e a exportação em 316,1 e 49,5 milhões de toneladas, respectivamente. O consumo foi retificado passando de 291,6 para 293,4 milhões de toneladas, sinalizando um aumento do consumo para produção de etanol. Já os estoques finais foram retificados de 18,9 para 17,1 milhões de toneladas.

Argentina – O USDA revisou os números para a Argentina.   A produção passou de 23,5 para 22 milhões de toneladas (menos 1,5 milhão de tonelada). As exportações passaram de 16 milhões de toneladas para 14,5 milhões de toneladas.O estoque final previsto é de 900 mil toneladas.

Brasil – O USDA manteve os números estimados em janeiro: produção de 51,00 milhões de toneladas, exportações de 7 milhões de toneladas.  Já o estoque final foi reajustado de 9,4 para 7,2 milhões de toneladas.

Trigo: novos números para a produção mundial na safra 2010/11

Em relação ao trigo, o relatório de fevereiro traz algumas alterações.  A produção mundial passou de 645,8 para 645,4 milhões de toneladas.  O consumo mundial passou de 665,26 para 665,23 milhões de toneladas.Os estoques finais passaram de 177,99 para 177,77 milhões de toneladas.

Para a Argentina, o USDA estima uma produção de 14 milhões de toneladas e exportações de 8,5 milhões de toneladas. 

Em relação ao Brasil, a produção estimada é de 5,90 milhões de toneladas.  Importações brasileiras do cerealprevistas em 6 milhões de toneladas e estoque final de 1,5 milhão de tonelada.

Gilda M. Bozza
Economista
DTE/FAEP

imprensa@faep.com.br