Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 25/11/2010 - 12h00
Postado em Notícias

25/11/2010 12h00 - Postado em Notícias

Primeiro leilão de trigo comercializou 55%da quantidade ofertada

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou nesta quinta-feira (25/11) o primeiro leilão de trigo via Prêmio de Escoamento do Produto – PEP. Foram negociadas 226 mil toneladas das 300 mil toneladas ofertadas no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Paraná na Região I, mais distante do porto de Paranaguá, o percentual […]

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou nesta quinta-feira (25/11) o primeiro leilão de trigo via Prêmio de Escoamento do Produto – PEP. Foram negociadas 226 mil toneladas das 300 mil toneladas ofertadas no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

No Paraná na Região I, mais distante do porto de Paranaguá, o percentual adquirido foi de 55%, ou seja, foram adquiridas 66,2 mil toneladas das 85 mil toneladas ofertadas. O prêmio máximo foi de R$ 77,00 por tonelada.

Na Região II, com prêmio máximo de R$ 75,00 por tonelada, não houve negócios. Nada foi adquirido do total de 35 mil toneladas.

Desta forma, das 120 mil toneladas ofertadas no Paraná apenas 66,2 mil toneladas foram negociadas. Como esse foi o primeiro, o interesse das negociações deve aumentar nos próximos leilões.

Segundo a portaria nº 1.071 o recurso total disponibilizado para os leilões de trigo é de R$ 300 milhões para 1,6 milhões de toneladas. De acordo com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, o apoio ao Paraná deve ser de 600 mil toneladas com previsão de que os leilões ocorram até 20 de dezembro.

A previsão de produção para o Paraná, de acordo com a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento – Seab, é 3,2 milhões de toneladas, das quais 98% já foram colhidas e apenas 25% comercializadas – percentual inferior ao mesmo período de anos anteriores.

Diante da estimativa de safra de trigo no estado de 3,2 milhões de toneladas e da previsão da quantidade a ser apoiada de 600 mil toneladas ser considerada baixa, a FAEP e OCEPAR estão reivindicando junto ao governo federal o apoio para o escoamento de dois milhões de toneladas, além do aumento do prêmio e maior periodicidade dos leilões.

imprensa@faep.com.br