Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 11/01/2011 - 12h00
Postado em Notícias

11/01/2011 12h00 - Postado em Notícias

Preço do café deve chegar a R$ 450 a saca neste semestre

Os preços da saca de café brasileiro nunca estiveram tão atrativos quanto os vistos nos últimos meses. E a expectativa é de fechar 2011 com uma média superior a R$ 400 por saca de 60 quilos do café arábica, contra os R$ 310,91 obtidos na média do ano passado. O Centro de Estudos Avançados em […]

Os preços da saca de café brasileiro nunca estiveram tão atrativos quanto os vistos nos últimos meses. E a expectativa é de fechar 2011 com uma média superior a R$ 400 por saca de 60 quilos do café arábica, contra os R$ 310,91 obtidos na média do ano passado. O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) prevê que os valores do produto possam superar a marca de R$ 450 por saca este ano.

As quebras seguidas das safras colombianas e a baixa produção dos grãos de qualidade na América do Norte são as principais causas do aumento do preço do café no mundo. Atrelados a isso estão os baixos estoques do produto, a desvalorização do dólar, e a demanda crescente que apresentaram ao Brasil um novo cenário. Com a falta de cafés de qualidade no mercado, as atenções se voltaram ao produto brasileiro.

Em janeiro do ano passado o café arábica era vendido a R$ 280,75 a saca, e em pleno mês de junho, momento em que começava a colheita brasileira, os preços saltaram para R$ 305,99. Para Gil Carlos Barabach, analista da Safras & Mercado, nesse momento aconteceram as primeiras investidas do mercado internacional pelo grão de qualidade brasileiro, que, aliadas à previsão de uma safra posterior menor, elevaram os índices. "Com a quebra da safra colombiana, o mercado internacional precisava buscar o café suave em outros países, e passou a comprar o café-cerejinha descascado brasileiro, que se assemelha bastante à qualidade procurada. Logo a demanda maior, aliada ao estoque reduzido, gerou o aumento dos preços por aqui", contou.

Com isso, apesar de uma safra recorde obtida no ano passado, o País entrou em 2011 com estoques muito baixos, elevando ainda mais o preço do café. Segundo o Cepea, a média de valores em janeiro deste ano deve ficar em R$ 415 por saca, o que representa um aumento de 48% se comparado a janeiro de 2010. "Os fatores que favoreceram as altas dos preços do café arábica em 2010 devem continuar influenciando os valores em 2011, e esperamos valores ainda mais elevados até o final do primeiro semestre", comunicou a instituição.

Para o analista da Safras, devido aos problemas vividos pelo setor no mundo, principalmente na Colômbia, este é um momento especial para o produtor brasileiro, que deve parar de pensar em quantidade e investir em qualidade. "Quando falamos em qualidade, pensamos na Colômbia. Agora é o momento de o produtor brasileiro avançar na escala em relação à qualidade para agregar mais valor ao seu produto", comentou Barabach.

Neste primeiro semestre a expectativa, tanto do Cepea quanto do analista, é de que o preço do café pode alcançar a marca de R$ 450 por saca de 60 quilos, devido principalmente às incertezas que rondam o mercado financeiro internacional, aos problemas climáticos que podem afetar a próxima safra (menor, devido à bianualidade), e aos baixos estoques internacionais. "Com todos esses receios, os preços neste primeiro semestre tendem a subir. Acredito sim, que o preço do café pode chegar à marca de R$ 450 a saca", comentou o analista.

Para o segundo semestre, Barabach afirmou que a expectativa gira em torno da manutenção de preços mais elevados, visto a colheita da safra em junho, a expectativa da safra maior em 2012, e a retomada dos grandes volumes de produção da Colômbia. "Contudo, levando em consideração os números do primeiro semestre e a manutenção dos preços no segundo, é possível sim, ficarmos na média acima de R$ 400 a saca".

Revista Cafeicultura – 10/01/2011 –
Daniel Popov – DCI

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom