Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 29/04/2011 - 12h00
Postado em Notícias

29/04/2011 12h00 - Postado em Notícias

Nova estimativa confirma safra recorde no Paraná

Estado deve colher 32 milhões 890 mil toneladas de grãos, segundo Deral

Dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento confirmam o indicativo de um novo recorde na safra paranaense de grãos. O Paraná deverá colher 32 milhões 890 mil toneladas de grãos. Na safra anterior (2009/2010), o Estado colheu 32 milhões 820 mil toneladas.

O destaque dessa produção recorde se deve-se novamente à produção da soja, que atingiu os 15 milhões de toneladas, com a produtividade da atual safra – 3.300 quilos por hectare, superando a safra de 2010 – que ficou em 3.180 quilos por hectare. Ainda segundo os técnicos do Deral, já foram colhidas 98% da safra paranaense de soja que ocupa uma área de 4 milhões e 500 mil hectares.

Para o engenheiro agrônomo Otmar Hübner, chefe do Deral, alguns fatores contribuíram para essa nova safra recorde. "Além do clima favorável tanto no plantio, como na colheita, o agricultor paranaense vem mostrando profissionalismo e eficiência no cultivo de suas lavouras. O uso correto das tecnologias e insumos, assim como o investimento na produção, colaboram para estes bons rendimentos para o setor", afirmou Otmar Hübner.

Na safra de milho, que também bateu recorde de produtividade, com colheita em média de 7.700 quilos por hectare, já foram colhidas cerca de 88% da produção, estimada em 5,86 milhões de toneladas. "Os preços do mercado para estas duas culturas estão bons para os agricultores, o que reflete em bons resultados para o setor produtivo", explicou Otmar Hübner.

MENOR ÁREA PARA O TRIGO – As previsões de colheita só não são maiores porque haverá uma redução de 12% na área de plantio do trigo em relação à safra anterior. Em 2010 foram colhidos 3,45 milhões de toneladas de trigo. Os técnicos avaliam que a safra deste ano deverá chegar a 2,86 milhões de toneladas. Os preços pagos ao agricultor estão abaixo do esperado, sendo que a importação do produto, principalmente do mercado argentino, disputa espaço com o trigo colhido no Paraná, explicam os especialistas do setor.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom