Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 22/03/2012 - 12h00
Postado em Notícias

22/03/2012 12h00 - Postado em Notícias

Mercosul vai alimentar o mundo em 2050, indica estudo

Demanda mundial por milho, arroz, trigo, açúcar e soja crescerá 46% até lá; maior parte do abastecimento virá do Mercosul

Um estudo divulgado pela consultoria Bain & Company, nesta quarta-feira (21/3), aponta que os países do Mercosul terão uma grande responsabilidade nos próximos 40 anos. O levantamento, entitulado "Agronegócio no Mercosul: transformações do pasado e promessas para o futuro" indica que o aumento da demanda global por alimentos, em 2050, será de 1,1 bilhão de toneladas e os países do bloco são os que mais têm condições aumentar a produção.

A necessidade mundial por milho, arroz, trigo, açúcar e soja deverá passar de 2,4 bilhões de toneladas, número de 2010, para cerca de 3,5 bilhões em 2050, para atender o aumento da população mundial, prevista para chegar a 8,9 bilhões de habitantes daqui a 40 anos – 2,1 bilhões de pessoas a mais do que nos dias de hoje.

"Para atender essa demanda, os países do Mercosul deverão se preparar enfrentando desafios logísticos e técnicos, além de investir no desenvolvimento de sementes e técnicas de plantio adequadas a climas secos e quentes", diz Fernando Martins, sócio da Bain & Company.

Um ponto que reflete o aumento da produção do Mercosul é a valorização das terras agrícolas no Brasil: donos de terras cultiváveis tiveram ganhos significativos na última década . Empresas de capital doméstico e internacional têm apostado na agricultura brasileira, na valorização das terras e não somente no lucro das lavouras, abrindo espaço para o chamado fenômeno da produção agrícola corporativa.

"Resta saber se o ciclo inteiro da produção corporativa se concretizará ou se a propriedade continuará concentrada em investidores e mesmo nos fundos soberanos preocupados com a segurança alimentar de suas populações", esclarece Fernando.

Fonte: Globo Rural

imprensa@faep.com.br