Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 30/08/2017 - 09h13
Postado em Crédito Rural, Destaques

30/08/2017 09h13 - Postado em Crédito Rural, Destaques

Governo promete crédito rural mais barato

Acesso depende das garantias oferecidas. Entenda a decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN)

O Conselho Monetário Nacional (CMN) apresentou regras para baratear o custo do crédito, em resolução aprovada na última segunda-feira (28). O conselho definiu os ativos financeiros que poderão ser registrados e depositados em um novo sistema de garantias e também alterou permissões para utilização do crédito rural subsidiado com recursos do Tesouro Nacional. Uma central eletrônica deverá facilitar a identificação de garantias e, assim, reduzir os custos para os tomadores de empréstimos. Entre os ativos que poderão ser registrados estão os chamados direitos creditórios, ou seja, uma entrada de recursos futura.

O valor total direcionado ao setor agrícola no Plano Safra (R$ 190 bilhões) não mudou. Contudo, agora produtores interessados em tomar empréstimos com o objetivo de comercializar, estocar ou industrializar a produção poderão acessar o crédito mais barato. Neste ano, o governo tinha anunciado que os recursos do Safra seriam exclusivos para custeio, e as demais atividades deveriam ser financiadas por empréstimos no mercado livre.

Os empréstimos do Plano Safra têm juros mais baixos do que os de mercado e a diferença é bancada pelo Tesouro Nacional. Os recursos vêm de cerca de um terço dos depósitos à vista feitos nos bancos que oferecem crédito rural. Esse dinheiro, pela legislação, tem que ser voltado a crédito para o setor agrícola. No voto, o CMN afirma que identificou dificuldades no escoamento da safra recorde e, por isso, decidiu reabrir a possibilidade de financiar a comercialização, antes permitida.

A taxa de juros nessa operação será de até 9% ao ano, assim como os juros da industrialização. Para estocagem, a taxa será de até 8,5% ao ano. O “até” é uma novidade no crédito rural implantada pelo CMN. Antes, o governo fixava a taxa. Agora, a ideia é dar liberdade para que tomadores e emprestadores negociem e possam, eventualmente, reduzir o custo do financiamento, tendo o valor acima como limite.

Fonte: Gazeta do Povo.

Título da Postagem: Governo promete crédito rural mais barato

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom