Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 14/07/2011 - 12h00
Postado em Notícias

14/07/2011 12h00 - Postado em Notícias

Exportações do agronegócio paranaense cresceram 35% em 2011

O Paraná aumentou sua participação nas exportações do agronegócio brasileiro (US$ 43,1 bilhões), passando para 14% e mantém o segundo lugar no ranking dos estados exportadores, atrás São Paulo. Os dados da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura (MAPA) mostram que no primeiro semestre de 2011, as exportações do agronegócio […]

O Paraná aumentou sua participação nas exportações do agronegócio brasileiro (US$ 43,1 bilhões), passando para 14% e mantém o segundo lugar no ranking dos estados exportadores, atrás São Paulo. Os dados da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura (MAPA) mostram que no primeiro semestre de 2011, as exportações do agronegócio paranaense cresceram 35% sobre igual período de 2010, passaram de US$ 4,5 para US$ 6,1 bilhões. É o que apontam os dados da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio – SRI, do MAPA.

Os complexos soja (grão, farelo e óleo), carnes, produtos florestais e sucroenergético respondem por 85% da receita das exportações do agronegócio paranaense.  A renda gerada pela exportação destes produtos soma US$ 5,1 bilhões.

Já os dados da Secretaria de Comércio Exterior (MIDC), divulgados na quinta-feira (14), trazendo as exportações totais do Paraná apontam um crescimento de 27% no período em análise, passando de US$ 6,5 para 8,3 bilhões. O agronegócio participa com 74% das exportações do Paraná. As importações, em igual período, aumentaram 47%, ou seja, passaram de US$ 5,8 para US$ 8,6 bilhões.  Com isso, o Paraná registra um déficit de US$ 367 milhões.

O complexo soja (grão, farelo, óleo bruto e refinado) responde por 46% das exportações do agronegócio, com uma receita de US$ 2,8 bilhões e variação de 47% sobre igual período de 2010 (US$ 1,9 bilhão). A participação nas exportações brasileiras é de 22%. As exportações de soja em grão somaram US$ 1,6 bilhão, apesar da queda do volume exportado, compensada pelos preços de exportação, média de US$ 462,10/tonelada contra US$ 368,30/tonelada no mesmo período de 2010 (25% superior).

A receita das exportações de farelo de soja no acumulado janeiro a junho/11 aumentou 103%, passou de US$ 406 milhões para US$ 826 milhões e volume exportado de 1,9 bilhão de toneladas. Quanto ao óleo bruto, a divisa arrecadada foi de US$ 318 milhões, uma evolução de 101% sobre mesmo período de 2010 (US$ 158 milhões). No segmento óleo refinado a receita saiu de US$ 30 para 44 milhões.

O agregado  carnes (aves, bovina, suína e outras) cresceu 17%, passando de US$ 968 milhões para US$ 1,1 bilhão em janeiro/junho2011.  As exportações de carne de frango (in natura e industrializada) cresceram 25%, passaram de US$ 713 para US$ 891 milhões, alavancadas pelo preço da carne de frango no mercado internacional. As exportações de carne suína somaram US$ 79,4 milhões, uma variação de 22% sobre igual período de 2010 (US$ 65 milhões).  Já as exportações de carne bovina registram queda na receita de 13%, caindo de US$ 38 para 33 milhões.  Quanto à carne de peru, a queda acumulada foi de 45%, caindo de US$ 78 para US$ 43 milhões.

Complexo Sucroenergético (açúcar e álcool)

As exportações do complexo somaram US$ 590 milhões contra US$ 414 milhões em igual período de 2010, um crescimento de 42%, resultante do aumento dos preços do açúcar e da quantidade embarcada.  A receita do açúcar foi de  US$ 563 milhões contra US$ 332 milhões sobre mesmo período de 2010, alavancada pelos preços praticados no mercado internacional e aumento do volume exportado.  Já as exportações de álcool acumulam uma queda de 67% no período em análise.   A receita caiu de US$ 82 milhões para US$ 27 milhões.

Cereais, Farinhas e Preparações

As exportações de trigo pelo Porto de Paranaguá somaram US$ 211 milhões, um crescimento de 107% sobre igual período de 2010 (US$ 102 milhões), sustentadas pelo preço internacional e pelo escoamento da produção via mercado externo, haja vista os preços não remunerados e a oportunidade de exportação no período.

Quanto às exportações de milho, a receita gerada foi de US$ 94 milhões, uma elevação de 54% sobre igual período de 2010 (US$ 61 milhões), sustentadas pelo preço internacional (30% superior). A participação nas exportações brasileiras do grão foi de 14%.  No período, o Brasil embarcou 2,7 milhão de toneladas, com receita de  US$ 681 milhões.

Café

As exportações paranaenses de café somaram  US$ 222 milhões, um aumento de 58% sobre igual período de 2010 (US$ US$ 140 milhões).

Mercados

Quanto aos destinos das exportações paranaenses do agronegócio, em relação aos principais blocos econômicos, a Ásia (28%) e a União Europeia (22%) são os principais mercados. No período analisado, as exportações para a União Europeia cresceram 28%, passaram de US$ 1,4 para 1,8 bilhão.

Os principais mercados, em ordem de importância foram: Alemanha (8%); Países Baixos (6%); França (3%);Itália (2%); Espanha (1,5%). Já as exportações para a Ásia cresceram 12%, passaram de US$ 2,05 para US$ 2,31 bilhões.

O mercado chinês tem uma participação de 18% nas exportações totais paranaenses. Vale mencionar o crescimento das exportações para o Oriente Médio, passaram de US$ 451 para US$ 625 milhões, uma evolução de 38% e participação na receita exportada de 8%.

Por Gilda Bozza, economista da FAEP

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom