Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 09/01/2012 - 12h00
Postado em Notícias

09/01/2012 12h00 - Postado em Notícias

Estiagem provoca quebra de 11,5% na safra de verão no Paraná

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, através do seu Departamento de Economia Rural (Deral), divulgou na semana passada (05/01), o primeiro levantamento de perdas da safra de verão 2011/12. Durante os meses de novembro e dezembro, o regime de chuvas no Estado ficou abaixo da normalidade, prejudicando o desempenho das principais culturas. Estima-se até […]

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, através do seu Departamento de Economia Rural (Deral), divulgou na semana passada (05/01), o primeiro levantamento de perdas da safra de verão 2011/12. Durante os meses de novembro e dezembro, o regime de chuvas no Estado ficou abaixo da normalidade, prejudicando o desempenho das principais culturas.

Estima-se até agora uma redução de 2,55 milhões de toneladas de soja, milho e feijão que, aos preços de hoje, significa um prejuízo financeiro de R$ 1,52 bilhão. A quebra da produção representa 11,5% da safra paranaense de grãos de verão, que era estimada em 22,13 milhões de toneladas.

Soja – As condições climáticas adversas comprometeram a safra paranaense. A produção inicialmente estimada em 14,15 milhões de toneladas foi reavaliada para 12,73 milhões. Estima-se uma quebra em torno de 10%, o que representa, em termos físicos, que cerca de 1,42 milhão de toneladas deixarão de ser produzidas. Em valores financeiros a perda é de R$ 1,02 bilhão.

Milho (1ª safra) – A área plantada com milho 1ª safra, no Paraná, é de 938.335 hectares, 21% maior que a cultivada no ano anterior. A expectativa era que a produção atingisse 7,4 milhões de toneladas, 21% acima do volume obtido na safra passada (6,1 milhões de toneladas).

No entanto, a estiagem que vem ocorrendo desde fim de novembro afetou a produtividade inicialmente estimada. De acordo com levantamento feito pelos técnicos do Deral, a produção atual está prevista em 6,4 milhões de toneladas, o que representa uma redução de 14%, ou seja, uma quebra de 1,05 milhão de toneladas. Em valores financeiros estima-se um prejuízo de R$ 379,7 milhões.

Feijão (1ª safra) – Estima-se que 33% da área total destinada à cultura do feijão 1ª safra (250.653 ha) foi colhida. A produção inicialmente esperada era de 430.637 toneladas, porém, a ocorrência de temperaturas abaixo da média para o período e a estiagem comprometetam o potencial produtivo. Calcula-se uma quebra de 19% na produção de feijão, cerca de 83 mil toneladas, o que representa um prejuízo de R$ 117,4 milhões. A produção atual está estimada em 348 mil toneladas.

Clima – Durante o mês de dezembro, o regime de chuvas ficou abaixo da normalidade, comprometendo o desempenho da safra. Segundo o Simepar, nas estações meteorológicas de Toledo, Campo Mourão, Maringá, Londrina e Francisco Beltrão choveu abaixo de 1/3 da média normal para o mês.

As chuvas ocorridas na última semana de 2011 amenizaram em parte a situação de estiagem no Paraná. Em algumas localidades,como Assis Chateaubriand (Núcleo Regional de Toledo), houve registro de 116 mm no período. Porém, em Palotina, localizada no mesmo Núcleo, choveu apenas 9 mm.

De acordo com o diretor do Deral, Otmar Hubner, de maneira geral as condições das lavouras estão heterogêneas. Há registros de áreas em condições ruins com perdas significativas e irreversíveis e ao mesmo tempo lavouras que apresentam um bom desempenho.

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom