Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 11/01/2012 - 12h00
Postado em Notícias

11/01/2012 12h00 - Postado em Notícias

Embargo russo afetou menos do que se imaginava as exportações de carnes

Embargo russo afetou menos do que se imaginava as exportações de carnes: Setor de carne suína foi o mais afetado

O embargo imposto pelo governo russo a vários estabelecimentos brasileiros não afetou como se imaginava as exportações brasileiras globais de carnes em 2011. Os embarques para a Rússia tiveram redução de 19,6%, mas, segundo o secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Célio Porto, foram compensadas pelo crescimento de 14,7% nas vendas para outros mercados.

Por segmento, os embarques para a Rússia tiveram redução de 1,1% na carne bovina, 50,5% na de frango e 39,4% na suína. No entanto, para outros mercados, houve aumento de 11,5%, 19,9% e 7%, respectivamente.

O embargo a diversas plantas frigoríficas brasileiras foi anunciado em junho de 2011 e desde então os governos russo e brasileiro não conseguiram resolver o problema. Porto acredita que a entrada da Rússia na Organização Mundial e Comércio (OMC), oficializada em 1º de janeiro de 2012, pode facilitar as negociações, já que a Rússia será obrigada a seguir regras internacionais.

Até agora, o governo russo vinha exigindo do Brasil, que segue o regulamento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), regras específicas da união aduaneira formada por Bielorússia, Cazaquistão e Rússia.

Reunião

O Ministério da Agricultura espera receber, até o dia 13 de janeiro, um relatório técnico detalhado da missão russa que visitou o Brasil no mês de novembro de 2011 para tentar resolver a questão do embargo às exportações de carne de vários frigoríficos nacionais. Segundo o secretário de Relações Internacionais do MAPA, Célio Porto, já foi pré-agendado um encontro em separado do ministro Mendes Ribeiro Filho com sua correspondente russa no dia 17 de janeiro, em Berlim, Alemanha.

Os ministros estarão na capital alemã para participar da Semana Verde Internacional de Berlim e, caso se confirme, será o primeiro encontro entre os dois. O embargo à carne brasileira foi anunciado pelo governo russo em junho de 2011 e, desde então, muita desinformação e acusações foram disparadas pelos dois lados.

Porto disse que a Rússia tem tradição de suspender as importações com origem em estabelecimentos de todos os seus fornecedores "ao menor sinal de desacordo com suas regras". No entanto, com a entrada oficial do país na Organização Mundial do Comércio no dia 1º de janeiro, "a expectativa é que siga regras internacionais", disse Porto à Agência Brasil.

"O grande problema do embargo russo à carne brasileira é a equivalência de sistemas", explicou o secretário. O Brasil segue regras da Organização Mundial de Saúde Animal, enquanto o governo russo exigia que se cumprisse o regulamento específico da união aduaneira formada por Bielorússia, Cazaquistão e Rússia.

Fonte: Agência Brasil

imprensa@faep.com.br