Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 20/04/2011 - 12h00
Postado em Notícias

20/04/2011 12h00 - Postado em Notícias

Economista da FAEP analisa a conjuntura de grãos no primeiro trimestre de 2011

Gilda Bozza do Departamento Técnico e Econômico analisou o desempenho dos preços da soja, milho e trigo




  • No 1º trimestre de 2011, os preços da soja, milho e trigo mostram um desempenho positivo nos mercado externo e interno, em comparação ao mesmo período de 2010, conforme detalhado nas planilhas abaixo.

  • PARANÁ

  • Preços médios recebidos pelos produtores na soja, milho e trigo – Comparativo 2010 e 2011

    Produtos

      Média janeiro a
    março/2011 (R$/saca)

    Média janeiro a
    março/2010(R$/saca)

    Variação
    (R$/saca)

    Variação

    (%)

    SOJA

    44,85

    33,86

    10,99

    32,4

    MILHO

    21,95

    14,17

    7,78

    54,9

    TRIGO

    25,46

    23,78

    1,68

    7,1

    DÓLAR

    1,6670

    1,8023

    (R$ 0,1353)

    (7,5)

  • FONTE: SEAB – média janeiro/fevereiro

  • BOLSA DE CHICAGO (CBOT)

  • Preços da soja, milho e trigo na bolsa de Chicago – CBOT (US$/saca)

    Produtos

    Média janeiro/março 2011

    Média janeiro/março2010

    Variação

    (%)

    SOJA

    30,48

    21,07

    44,6

     

    MILHO

    15,85

    8,74

    81,3

     

    TRIGO

    17,44

    10,96

    59,1

     

  • Fonte:Cbot,  www.cbot.com , preços janeiro/março/11. 1 bushel soja e trigo = 27,216 kg e 1 bushel de milho 25,4 kg, * efeito taxa de câmbio + variáveis sazonais como prêmio e safra.

  • TAXA DE CÂMBIO

  • Média janeiro/fevereiro

    Taxa de câmbio
    (R$/US$)

    Janeiro-março2010

    1,8023

    Janeiro-março 2011

    1,6670

    Variação (%) – 2011/2010

    (7,5)

  • Fonte: Bacen

  • SOJA

  • No caso da soja, os preços médios do trimestre no mercado doméstico passaram de R$ 33,86/saca em 2010 para R$ 44,85/saca em 2011, um acréscimo de R$ 10,99/saca. A partir de março os preços têm caído à medida da entrada da safra paranaense e em linha com o desempenho dos preços internacionais. O enfraquecimento da demanda mundial (China), maior mercado comprador da soja brasileira, repercute nas cotações na Bolsa de Chicago. Nas últimas semanas, a China vem cancelando os navios programados para os Estados Unidos e também para o Brasil. Existe uma corrente que entende esta atitude como uma manobra para baixar os preços internacionais que estão bastante acima da média histórica (US$ 21,13/saca).

  •  

  • MILHO

  • Os preços pagos ao produtor no 1º trimestre de 2011 são 55% superiores relativamente ao 1º trimestre de 2010. O preço médio recebido passou de R$ 14,17/saca para R$ 21,95/saca, um aumento de R$ 7,78 por saca. Os preços em 2011 seguem firmes, saltando de R$ 20,62/saca em janeiro para R$ 22,90/saca em março (acréscimo de 11%). Cabe salientar que a comercialização tem um ritmo lento, haja vista que o volume de oferta não aumenta à medida que a safra de milho é realizado. Os produtores, estrategicamente, retêm o milho, no aguardo de melhor momento no mercado. A atenção dos produtores volta-se para as condições climáticas na safrinha de inverno que neste ano foi realizada mais tarde.

  •  

  • TRIGO

  • No caso do trigo, no período analisado, a reação dos preços foi menor, com um acréscimo de 7%. Os preços médios passaram de R$ 23,78/saca em 2010 para R$ 25,46/saca em 2011, ou seja o aumento foi de R$ 1,68/saca. Os preços em março fecharam a R$ 26,11/saca. As alterações no ICMS no Paraná, a partir de abril, que voltará para 12% podem comprometer a competividade do trigo paranaense frente ao trigo gaúcho e argentino. A FAEP pleiteia o retorno da regra anterior. Vale lembrar que nos últimos anos, o crédito era de 10%, com um encargo de somente 2%. Outro aspecto refere-se à possibilidade de redução da área plantada no Estado. A safra anterior já registrava redução de 11% da área e a estimativa da Seab/Pr é de repetição dessa redução de área na nova safra.

imprensa@faep.com.br