Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/05/2011 - 12h00
Postado em Notícias

16/05/2011 12h00 - Postado em Notícias

Conjuntura: comparativo de preço entre o Paraná e Bolsa de Chicago

Economista da FAEP Gilda Bozza, faz análise da conjuntura de preços realizada entre janeiro e abril deste ano

Mercado Internacional
No período janeiro /abril 2011, além dos fatores fundamentais (oferta, demanda, estoques) outras variáveis também contribuíram para a volatilidade dos preços das commodities.  O início da elevação da taxa de juros na União Europeia foi adiado. Com isso, houve picos de aumento da aversão ao risco, com fuga do mercado de commodities e abrigo no dólar. Os fundos de investimentos dada a valorização do dólar frente às moedas realizam lucros.

A retração nos preços do petróleo saindo da casa de US$ 114,00 por barril (maior preço desde 2008); a recuperação mais lenta da economia americana (dados desfavoráveis do mercado de trabalho e novamente do setor imobiliário).   A incerteza reinante quanto à recuperação econômica mundial, com preocupações quanto à Grécia e Espanha; menor volume de exportações americanas, inflação na China, principal mercado importador de soja e enfraquecimento da demanda mundial estão entre as variáveis que colaboraram para o quadro de preços menores.

No caso da soja, os preços na Bolsa de Chicago saíram de US$ 30,68 para 30,07 por saca, um recuo de US$ 0,61/saca.  Vale lembrar que os atuais patamares de preços são vantajosos, haja vista que relativamente a igual período de 2010, as cotações estão 43% superiores, conforme demonstrativo abaixo.

No mercado internacional do trigo, o cereal acumula ganhos próximos de 60%, passando de US$ 10,83 para US$ 17,32/saca.  Já no caso do milho, os preços aumentaram 89% no período analisado, passando de US$ 8,65 para 16,33 por saca.

BOLSA DE CHICAGO (CBOT)

Preços da soja, milho e trigo na bolsa de Chicago – CBOT (US$/saca)

Produtos

Média jan/abril 2011

Média jan/abril 2010*

Variação (%)

 

SOJA

30,37

21,14

43,7

 

MILHO

 16,33

  8,65

88,8

 

TRIGO

17,32

10,83

59,9

 

Fonte: CBOT

Mercado Paranaense
O mercado doméstico da soja nos primeiros quatro meses de 2011 aponta um preço médio de R$ 43,88 por saca, 32 % maior sobre igual período de 2010 (R$ 33,15/saca).  A variação corresponde a R$ 10,73 por saca. A partir de janeiro de 2011, os preços recebidos pelos produtores vêm caindo, passando de R$ 45,52 para 40,96 por saca, uma queda acumulada de R$ 4,56 por saca (10%).  A partir de abril, com entrada de maior volume do grão no mercado aumentado mercado paranaense, aumentando a oferta, o preço pago ao produtor sofre pressão de baixa.

Já no caso do trigo, no primeiro quadrimestre de 2011, o preço médio apurado pela SEAB foi de R$ 25,79 por saca, com uma elevação de 7% no período, passando de R$ 25,03 para R$ 26,76/saca (R$ 1,73/saca).   Em relação ao primeiro quadrimestre de 2010, os preços são 8,8% maiores. A comercialização é lenta e número reduzido de negócios. Os preços paranaenses não refletem a valorização ocorrida na Bolsa de Chicago. O Paraná exportou de janeiro a março/11, via Porto de Paranaguá, um volume de 572 mil toneladas no valor de US$ 166 mil. Cumpre ressaltar, que parte do volume exportado foi através do mecanismo do Prêmio para Escoamento do Produto – PEP>

No mercado do milho, no período analisado, a elevação foi de 59%, passando de R$ 14,04 para 22,38 por saca, lembrando que os preços em 2010 foram péssimos, com os produtores enfrentando sérias dificuldades. Nos primeiros quatro meses deste ano, os preços acumulam um aumento de 14,7%, saindo de R$ 20,62 para R$ 23,67/saca. As exportações paranaenses de milho até março/11 somam 345 mil de toneladas, com divisas de US$ 85 mil.

PARANÁ

Preços médios recebidos pelos produtores na soja, milho e trigo – Comparativo 2010 e 2011

Produtos

Média janeiro/abril/2011
 (R$/saca)             

Média janeiro/abril/2010
  (R$/saca)           

Variação

(R$/saca)

Variação (%)

SOJA

43,88

33,15

10,73

32,3

MILHO

22,38

14,04

 8,34

59,4

TRIGO

25,79

23,70

2,09 

 8,8

DÓLAR

(R$/US$)

1,6400

1,7910

  -0,1510

-8,4

Fonte: Seab

Gilda Bozza
Economista do DTE/FAEP

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom