Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 21/12/2011 - 12h00
Postado em Notícias

21/12/2011 12h00 - Postado em Notícias

Confira o zoneamento para aveia e milho consorciado com braquiária no Paraná

Datas foram divulgadas pelo Ministério da Agricultura e valem para safra 2011/2012

As portarias 508 (aveia)  e 512 (milho e braquiária) de 16/12/2011, do Ministério da Agricultura podem ser consultadas nas páginas 9 a 14 e 21 a 23 do Diário Oficial da União  Nº 243,  seção 1, de 20 de dezembro de 2011. Clique aqui para ter acesso.

1- Zoneamento para Aveia – portaria 508
Para o Paraná os períodos de plantio vão de 11 de março a 20 de julho, e a época recomendada para cada município pode ser acessada  nas páginas 9 a 14 do referido Diário Oficial.

As principais espécies de aveia cultivadas são a  branca (Avena sativa) e a amarela (Avena byzantina), que apresentam folhas largas ecolmos grossos, e a aveia preta (Avena strigosa), que apresenta folhas estreitas e colmos finos.
Podem ser cultivadas em altitudes que vão desde o nível do mar até mil metros.
As cultivares de aveia branca e amarela são anuais e destinam-se à produção de grãos de alta qualidade industrial, caracterizadas pelo maior tamanho da cariopse, pelo alto peso do hectolitro

A aveia tem importante papel no sistema de produção de grãos, principalmente no sul do Brasil, caracterizando-se por ser uma excelente alternativa para o cultivo de inverno e em sistemas de rotação de culturas.

2- Zoneamento para milho consorciado com braquiária- portaria 512

No mesmo link, às páginas 21 a 23,  pode ser acessada a portaria 512 que indica as épocas ideais para o plantio do milho consorciado com braquiária.

No Paraná, o plantio consorciado de braquiária com o milho vem sendo utilizado, predominantemente, no cultivo do milho safrinha (2ª safra).
No consórcio a forrageira pode servir como alimento para a exploração pecuária, a partir do final do verão até início da primavera e, posteriormente, para formação de palhada no sistema plantio direto.

Há, também, possibilidade da utilização da forrageira, exclusivamente, como planta produtora de palhada, proporcionando cobertura permanente do solo até a semeadura da safra de verão subsequente.

Os efeitos do consórcio (reciclagem de nutrientes, acúmulo de palha na superfície, melhoria da parte física do solo pela ação conjunta dos sistemas radiculares e pela incorporação e acúmulo de matéria orgânica) são benéficos para os plantios subsequentes, em especial para os de soja, contribuindo para o aumento de produtividade.

imprensa@faep.com.br