Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 02/04/2012 - 12h00
Postado em Notícias

02/04/2012 12h00 - Postado em Notícias

Condições climáticas ocorridas e tendências para os próximos meses

Abril 2012

As precipitações ocorridas durante o mês de março, seguiram o mesmo ritmo das observadas nos últimos meses, muito irregulares e com volumes totais muito abaixo da média, para a época do ano. O mês começou com um bloqueio atmosférico, sobre o centro-sul do Brasil, que impediu o avanço das frentes frias sobre a região, favorecendo a permanência de uma  massa de ar mais quente e seca, que provocou uma forte onda de calor no início do mês e baixa precipitação, em boa parte do centro-sul do Brasil. A partir de meados março, com o enfraquecimento deste bloqueio, tivemos a passagem de duas frentes frias, mas ainda com fraca atividade que provocaram baixos volumes de chuva, a primeira em meados do mês e a segunda, que provocou volumes de chuva um pouco mais significativos, passou pelo Paraná mais no final de março. Devido ao baixo volume de precipitação que estamos observando ao longo dos últimos meses, o que tem provocado uma significativa deficiência hídrica no solo, as lavouras no estado continuaram sofrendo com os efeitos da estiagem, comprometendo assim, o seu desenvolvimento e produtividade.

 A temperatura também vem seguindo o mesmo padrão dos últimos meses, intercalando fortes ondas de calor com quedas acentuadas nas temperaturas. Devido ao bloqueio no início do mês, a primeira quinzena de março, foi marcada por uma forte onda de calor, que registrou desvios de temperaturas de 02 a 03°C acima da média. Durante a segunda quinzena, as temperaturas diminuíram um pouco, e foi marcada pela chegada de uma forte massa de ar frio, no final de março, que provocou uma queda brusca das temperaturas, inclusive com a formação das primeiras geadas, ainda que de fraca intensidade, no sul do Paraná.

O fenômeno climático "La Nina", que tem influenciado o nosso clima nos últimos meses, vem diminuindo sua intensidade rapidamente. As temperaturas das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, vem passado por uma rápida mudança de padrão nos últimos dois meses, passando de águas mais frias para um aumento gradual das temperaturas das águas superficiais naquela região. Ainda observamos águas mais frias a oeste do Oceano Pacífico Equatorial, enquanto próximo a costa oeste da América do Sul, observamos um predomínio de águas mais quentes (01 a 02°C acima da média). A figura 01, ilustra bem este padrão. Os prognósticos dos modelos climáticos globais, indicam uma situação de neutralidade climática (nem La Nina e nem El Nino), durante os próximos meses, esta tendência pode ser observada na figura 02.

Com os prognósticos climáticos indicando uma situação de "neutralidade" para os próximos meses, as precipitações ainda devem continuar com esta distribuição irregular, e volumes abaixo da média, porém, voltando gradativamente aos volumes normais, ao longo do outono e início do inverno e o intervalo entre uma chuva e outra deve diminuir, principalmente nas áreas mais a oeste do sul do Brasil.

As temperaturas devem continuar com o mesmo padrão observado no último mês, intercalando períodos um pouco mais quentes, com quedas acentuadas de temperatura, devido a incursões de massas de ar frio, que começam a chegar ao sul do Brasil, com maior intensidade, ou seja, os extremos de temperatura ainda devem predominar, ao longo do mês. Podemos ter ondas de calor, mas não tão fortes como a registrada no início de março. 

Fonte: Luiz Renato Lazinski – Meteorologista – INMET/MAPA

imprensa@faep.com.br