Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 28/02/2012 - 12h00
Postado em Notícias

28/02/2012 12h00 - Postado em Notícias

Condições climáticas ocorridas e tendências para os próximos meses

Março 2012

Durante o mês de fevereiro, as precipitações continuaram ainda muito irregulares em todo o Sul do Brasil, provocadas principalmente por pancadas de chuva de final do dia e início da noite, devido ao aquecimento diurno, as chamadas pancadas de "chuva de verão". Porém, observamos dois padrões diferentes ao longo do mês, durante a primeira quinzena as chuvas ficaram muito abaixo da média, já na última quinzena, as chuvas foram mais abundantes e apresentaram volumes maiores. A exemplo de janeiro, as áreas mais a leste do Paraná, região de Guarapuava, Campos Gerais em direção ao litoral, foram mais beneficiadas com volumes maiores de precipitação, enquanto nas áreas mais a oeste e norte as chuvas ainda continuaram registrando totais abaixo do normal para a época do ano. Apesar de observarmos um aumento nos volumes de precipitação nesta última quinzena de fevereiro, algumas áreas do Paraná, como a região de Londrina e parte do sudoeste do estado, ainda continuam sofrendo os efeitos da estiagem e a umidade no solo nestas regiões permanece muito baixa, comprometendo o desenvolvimento e a produtividade das lavouras nestas regiões. No oeste e parte do norte do estado, a baixa umidade no solo, observada no início do mês, atrasou um pouco o início do plantio do milho safrinha.
O mês de fevereiro foi marcado por fortes ondas de calor, que mantiveram a temperatura acima da média em todo o centro-sul do Brasil.
As temperaturas das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, sofreram uma rápida mudança de padrão no último mês, com o aumento gradual das temperaturas das águas superficiais naquela região. Ainda há o predomínio de anomalias negativas entre o centro e oeste do Oceano Pacífico Equatorial, da ordem de -1 a -2°C, porém nas áreas mais a leste do Pacífico Equatorial já observamos anomalias positivas, que variam de 0,5 a 2°C, como podemos observar na figura 01. Este padrão está associado ao rápido declínio do fenômeno climático "La Nina", que vem influenciando o clima nos últimos meses. A tendência dos prognósticos dos modelos climáticos globais, já indica uma situação de neutralidade climática (nem La Nina e nem El Nino), a partir dos próximos meses, esta tendência pode ser observada na figura 02.
Com o rápido declínio do "La Nina" e os prognósticos sinalizando com uma situação de neutralidade climática para os próximos meses, as precipitações ainda devem continuar com esta distribuição irregular, porém, os volumes de chuva devem ser maiores que os observados nos últimos meses e o intervalo entre uma chuva e outra devem diminuir, principalmente no norte, oeste e sudoeste do Paraná. Nas áreas mais a leste as chuvas devem ficar entre o normal a ligeiramente acima da média para a época do ano.
As temperaturas devem apresentar uma queda em relação ao mês anterior, ainda teremos ondas de calor, mas não tão fortes como as observadas em fevereiro. A chegada de massas de ar frio, um pouco mais intensas, são esperadas mais para o final do mês.

Luiz Renato Lazinski
Meteorologista
INMET/MAPA

Figura 01 – Anomalia da temp. da superfície do mar, semana de                      19.02.2012 a  25.02.2012. (Fonte: CPC/NOAA).

Figura 02 – Prognóstico da anomalia da temperatura da superfície do mar.                 (fonte: CPC/NOAA).

imprensa@faep.com.br