Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 06/03/2012 - 12h00
Postado em Notícias

06/03/2012 12h00 - Postado em Notícias

Código Florestal: Planalto tenta adiar votação desta semana temendo nova derrota

Marcada para ter início nesta terça-feira (6), a votação do novo Código Florestal brasileiro na Câmara dos Deputados pode ser adiada. O Planalto tenta essa manobra diante do temor de uma nova derrota na questão. Segundo informações da Folha de São Paulo, o Ministro da Agricultura Mendes Ribeiro fez o pedido ao líder do PMDB […]

Marcada para ter início nesta terça-feira (6), a votação do novo Código Florestal brasileiro na Câmara dos Deputados pode ser adiada. O Planalto tenta essa manobra diante do temor de uma nova derrota na questão.

Segundo informações da Folha de São Paulo, o Ministro da Agricultura Mendes Ribeiro fez o pedido ao líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves, e falaria também com o relator, o deputado Paulo Piau. Até a noite desta segunda-feira (5), Piau ainda não havia apresentado sua proposta final para análise.

O Planalto sustenta a consideração de não ser possível uma votação sem um consenso sobre o texto aprovado no Senado em dezembro do ano passado. Para o governo, o texto não deve ser alterado, já que traduz o melhor entendimento possível sobre a reforma da legislação ambiental.

"O projeto não é do Senado, é do Senado e da Câmara", disse à Folha Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC), relator da proposta nas Comissões de Ciência e Tecnologia e Agricultura no Senado. O senador disse ainda que deputados da arlamentar da Agropecuária foram chamados para ajudar a redigir o texto. 
Quanto a isso, os representantes da bancada ruralistas discordam. O deputado Moreira Mendes, líder da frente, afirmou que o texto "foi construído com os deputados até os 44 minutos do segundo tempo. Então, fora do combinado conosco, enfiaram uma meia dúzia de jabutis". Já Valdir Colatto, disse que o "Senado negociou, mas não aceitou".

A questão ainda conta com muitas polêmicas. Entre as principais está a mudança que diz respeito à emenda 164. Segundo o texto aprovado pelo Senadoo Os produtores são obrigados a recompor uma parte das APPs desmatadas. O texto da Câmara, no entanto, dispensava essa ação.

Como mostrou a notícia da Folha, "os ruralistas argumentam que não podem voltar atrás na anistia, já que o texto do Senado, afirmam, implicaria na subtração de 33 milhões de hectares à produção agrícola". O deputado Colatto diz que a bancada ruralista não abrirá mão da consolidação dos desmatamentos em APP. "Se a Dilma quiser, ela tire [vete]."

Com informações da Folha de S. Paulo.
Fonte: Notícias Agrícolas // Carla Mendes

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom