Logotipo Sistema FAEP

Data da Publicação: 16/01/2012 - 12h00
Postado em Notícias

16/01/2012 12h00 - Postado em Notícias

Chuvas no PR e RS estancam perdas nas lavouras

Apesar disso, agrônomos dizem que dificilmente lavouras com perdas serão recuperadas

As chuvas que atingiram nesta sexta-feira (13) os Estados do Paraná e Rio Grande do Sul, segundo e terceiro produtores de soja do Brasil, foram generalizadas nas regiões mais ressecadas e devem colaborar para estancar o processo de quebra de safra nas lavouras, disseram fontes oficiais. O Paraná é ainda o maior produtor de milho do Brasil.

"Choveu em toda a região, no norte, oeste, sudoeste, a região mais seca do sudoeste recebeu chuvas… Em algumas áreas, choveu 100 milímetros", disse o agrônomo Otmar Hubner, diretor do Deral, órgão do governo do Paraná.

"A previsão meteorológica e a chuva de hoje são seguramente a melhor notícia do ano e dos últimos meses para agricultura gaúcha", disse à Reuters o diretor-técnico da Emater, Gervásio Paulus, do governo do Rio Grande do Sul.

Segundo ele, as chuvas atingiram a metade norte do Rio Grande do Sul, justamente a área que necessitava mais de umidade e que é a principal região produtora de soja e milho.

A precipitação média acumulada no Paraná e Rio Grande do Sul, antes das chuvas desta sexta-feira, não passava de 10 mm em janeiro, segundo dados da Somar Meteorologia.

Os agrônomos ressalvaram, no entanto, que dificilmente as lavouras com perdas serão recuperadas.

A Emater trabalha com perdas de mais de 15% na soja, na comparação com a estimativa inicial, para 8,7 milhões de toneladas.

Já o Deral vê perdas de pelo menos 10 por cento ante a projeção inicial para a soja, para 12,72 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters

imprensa@faep.com.br
Agência de Internet PontoCom